Mensagem da prefeita de Matinha em homenagem ao Dia Internacional da Mulher

Mensagem da prefeita de Matinha, Linielda de Eldo, em homenagem ao Dia Internacional da Mulher

‘Carnaval de multidão e tranquilidade’, avalia secretário de Cultura de Matinha

O secretário de Cultural da cidade de Matinha, Gerlan Alves, avaliou como positivo, com destaques para a multidão que compareceu em todas as quatro noites de festa.

Realizado na Praça de Eventos, o período momesco atraiu milhares de pessoas para a cidade de Matinha, que também foi marcado pela tranquilidade.

Entre as atrações estavam Prakatum, Diel França, Juninho Kemmes, Adson Mendonça, Mayara Lins, Gerrard Lima, Traíra de Óculos e Chegadões, além de bandas regionais.

Valorizando as atrações do município e da região da Baixada Maranhense, as bandas Star Gil, Skema A3 e os DJs Cristiano e Mário Mix também animaram o carnaval de Matinha, organizado pela Prefeitura Municipal.

Como novidade deste ano, a secretaria organizou a Tenda Fest, que, a partir das 15 horas de cada dia, animou os foliões presentes.

Em conversa com o Blog do Jailson Mendes, o secretário falou sobre o carnaval. “Quero agradecer a prefeita Linielda de Eldo, pelo grande apoio que tem dado em todas as ações da secretaria e principalmente aos foliões, que marcaram presença forte e tivemos um saldo positivo, quanto à tranquilidade e recorde de público”, finalizou.

Blog do Jailson Mendes

Linielda acompanha Carnaval de Multidão em Matinha; vejam a programação de hoje; vejam fotos e vídeo

A prefeita de Linielda de Eldo está acompanhando toda a programação carnavalesca da cidade que ela administra, Matinha.

O município tem recebido milhares de foliões durante todos os 04 dias de carnaval e ontem a programação contou com Andson Mendonça, na Praça de Eventos.

Além de acompanhar de perto e organizar, ao lado do secretário de Cultura, Gerlan Alves, a prefeita vem prestigiando os cantores e as atrações envolvidas.

Hoje, a folia continua com Diel França e Banda Chegadões. Nos intervalos, terá Banda Skema A3 e DJ Cristiano.

Vejam as atrações…

Viana recebeu mais de 7 milhões nos últimos 28 dias. Vejam os repasses para Cajapió, S. J. Batista, Penalva, Vitória, Olinda, S. V. Ferrer, São Bento e Matinha

Magrado Barros

A Prefeitura de Viana recebeu mais de 7 milhões só nos últimos 28 dias. Os repasses são referentes ao mês de fevereiro e estão disponíveis no site de acompanhamento do Banco do Brasil.

A cidade, administrada pelo prefeito Magrado Barros, é uma das maiores da Baixada Maranhense e nos últimos meses vem recebendo uma enxurrada de denúncias por parte do Ministério Público contra a gestão de Magrado, além de manifestações da população.

Dos municípios que o Blog do Jailson Mendes cobre, São Bento e Penalva chegam perto do montante. Elas receberam 6 milhões cada uma e são administradas pelos prefeitos Luizinho Barros e Ronildo Campos.

Em comparação com o mês passado, as cidades de São Vicente, Matinha, São João Batista, Olinda, Vitória do Mearim e Cajapió tiveram perdas nas receitas.

Vejam os números dos demais municípios.

Viana R$ 7.197.511,68 C

Vitória do Mearim R$ 4.987.837,82 C

São Bento R$ 6.467.216,85 C

São João Batista R$ 3.629.394,21 C

São Vicente Ferrer R$ 3.436.295,17 C

Olinda Nova do Maranhão R$ 2.726.155,23 C

Matinha R$ 3.861.978,82 C

Penalva R$ 5.965.773,07 C

Cajapió R$ 2.135.470,81 C

Divulgada a programação oficial do carnaval 2019 em Matinha, vejam as atrações

A Prefeitura de Matinha acaba de divulgar a programação oficial do carnaval deste ano. O evento é organizado pela Secretaria Municipal de Cultura, comandada pelo secretário Gerlan Alves.

Entre as atrações, estarão Prakatum, Diel França, Juninho Kemmes, Adson Mendonça, Mayara Lins, Gerrard Lima, Traíra de Óculos e Chegadões, além de bandas regionais.

Valorizando as atrações do município e da região da Baixada Maranhense, as bandas Star Gil, Skema A3 e os DJs Cristiano e Sandro Bocão também estão na programação do período momesco.

Como novidade deste ano, terá a Tenda Fest, a partir das 15 horas de cada dia e a Orquestra Swing da Terceira Idade, organizada pela Prefeitura Municipal.

O evento acontece entre os dias 02 e 05 de março, na Praça de Eventos Juarez Silva Costa. Vejam as atrações

 

Deputado Junior Marreca Filho busca recursos junto ao Governo Federal para Cajapió e Matinha

O deputado federal Junior Marreca Junior esteve visitando ministérios em busca de projetos para as cidades de Cajapió, Matinha e Timbiras esta semana.

Ele visitou o diretor de Gestão, Articulação e Projetos Educacionais, Gilvan Silva Batista, do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação, órgão do Governo Federal.

Na oportunidade, ele pediu a liberação de recursos provenientes de emendas paras as três cidades, envolvendo transporte escolar, quadras e outros recursos para programas nos municípios.

Em Matinha, o parlamentar obteve um pouco mais de mil votos, sendo um dos mais votados. Em Timbiras, mais de três mil votos, mais votado no município.

Em Cajapió, apesar de não ter votação destacada, ele já trabalha a favor dos munícipes.

Blog do Jailson Mendes

Artigo: Se a morte me pegar de supetão…

Se a morte me pegar de supetão!

Estarei eu preparado? Todos os meus débitos pagos? Terei vivido bem a vida? Passarei para o além como alguém revoltado? Deixarei um nome, um legado, para ser amado ou odiado? Conseguirei beijar minhas netas antes do fato? O curso de filosofia já estaria terminado? Estarei em casa, igreja, rua ou hospital? Será dia ou noite? Manhã ou madrugada? O que as pessoas dirão sobre o ocorrido? Terá muita piada no velório? Que pastor será responsável pelas exéquias? Qual o texto da bíblia utilizado? Será um dia chuvoso ou cercado de sol? Até quando serei lembrado? Em quanto tempo cairei no esquecimento? Quem estará chorando ou sorrindo na cerimônia?

Se a morte me pegar se supetão!

Quero todos os amigos seguindo o féretro. Terão plena liberdade de ação. Vou desejar quatro bandeiras cobrindo o ataúde: uma da IPIB, uma do PT, uma da minha cidade querida, e por último uma do Flamengo. Não será preciso choro. Muito canto entoado, músicas do “Cantai todos os povos”, o hinário presbiteriano independente; não deverá faltar o cântico um pendão real; Chico Buarque, obrigatório, ou ainda qualquer outro cantor de MPB. Nunca sertanejo, seja em dupla ou universitário, por favor, eu imploro, obedeçam. E no derradeiro momento, quando os torrões começarem a bater sobre o esquife, uma cantata da internacional socialista, certamente me agradará.

Se a morte me pegar de supetão!

Terei cumprido o proverbio do homem realizado, plantado uma arvore. Não tive tempo de editar e lançar um livro, mas terei, em tempo de mídia rápida, textos postados, além disso, produzi filhos. Certamente estarei em estado de felicidade. Levarei lembranças boas e tristes. Carregarei no baleado coração, já dotado de stent e tomado pela utopia anarquista, um número pequeno (quase não cabem nos dedos das duas mãos), de autênticos amigos, que considero mais que irmãos, companheiros, (no verdadeiro sentido da palavra: aquele que come o pão junto) nas batalhas.

Se a morte me pegar de supetão!

Irei rever (pois ela acreditava que nos reconheceríamos), no céu, mamãe Maria de Lola; minha mãe Tchem; papai, e meu mano Juvencinho, dentre outros familiares que já se foram deste mundo. Conversarei outra vez sobre política com o reverendo Adiel. Estarei tête- à – tête com Lutero, Calvino e Eduardo Carlos Pereira. Andarei nas ruas de ouro com Jesus.

Se a morte me pegar de supetão!

Gostaria de deixar no esquecimento perenal, o ponto onde meu corpo será enterrado, esse local não terá a menor importância. Não almejo louvores póstumos. Quero ser lembrado em vida, recordações guardadas no coração ou na alma dos me amavam ou odiavam, certamente alguns desafetos falarão mal de mim.

Se a morte me pegar de supetão!

Haverá o encontro entre o religioso e o filósofo. Todas as querelas e dialéticas, tão características, estarão ultrapassadas, fora de moda, obsoletas, será o reinado da concórdia. O jardim de Epicuro, do Éden, antes do pecado. A era da paz enfim. Que a eternidade do fenecimento me seja leve.

Se a morte me pegar de supetão…
Se a morte me pegar de…
Se a morte me pegar…
Se a morte me…
Se a morte…
Se a…
Se…
……..

João Carlos da Silva Costa Leite, é natural de Matinha. Bancário aposentado, casado, presbítero em disponibilidade da Igreja Presbiteriana Independente do Brasil (IPIB). Membro do Fórum em Defesa da Baixada Maranhense (FDBM). Membro fundador da Academia Matinhense de Artes, Ciências e Letras (AMCAL), ocupando a cadeira de número 17. Graduando em Filosofia pela Universidade Federal do Maranhão (UFMA).

Pesquisa aumenta produção do ‘bagrinho’ para os pescadores de Itans, na Baixada Maranhense

Aproveitar as potencialidades dos pescadores da região da Baixada Maranhense para gerar mais renda às famílias ribeirinhas. Essa é a estratégia do Governo do Estado, que está sendo colocada em prática, em parceria com o Instituto Federal do Maranhão (IFMA) e a Universidade Federal do Maranhão (UFMA), por meio do Projeto Bagrinho.

O projeto, implantado em novembro do ano passado, está em sua fase inicial. O objetivo é aumentar a produção do peixe muito pescado na região. Foi idealizado pelos professores Luiz Rocha, da Agência Estadual de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural do Maranhão (Agerp-MA); e Weverson Almagro, do curso de Aquicultura do IFMA Maracanã.

A iniciativa está obtendo resultados expressivos, com a criação e engorda de peixes em cativeiro. “Essas etapas são importantes para que possamos coletar dados e para que a gente possa trazer a orientação para os agricultores familiares e piscicultores da baixada”, explica o professor Weverson Almagro.

O Projeto Bagrinho é realizado no campus do IFMA Maracanã. Começou com a preocupação em ampliar a produção do peixe como instrumento de geração de renda ao pescador e pescadora local. É gerenciado por professores e estudantes do Curso de Aquicultura. Com o apoio da UFMA de Pinheiro, por meio da professora do curso de Engenharia de Pesca, Yllana Marinho, o peixe está conseguindo a reprodução de forma sustentável na Baixada Maranhense.

A iniciativa visa a aproximação dos produtores locais, com a previsão de integração com a Associação dos Piscicultores do Povoado de Itans, no município Matinha.  “A perspectiva é que, a partir do aumento da produção dos piscicultores da região, possamos comercializar, de forma satisfatória, o bagrinho”, afirmou o pesquisador da Agerp, Luiz Rocha.

“A partir dessa etapa, poderemos desenvolver uma cadeia produtiva da pesca que garanta o abastecimento para os mercados e a renda para os pescadores”, acrescentou.

Bagrinho

Famoso por ser presente em abundancia na região da Baixada Maranhense, o bagrinho tem o nome cientifico de Trachelyopterus galeatus e tornou-se um dos favoritos de pescadores e consumidores no período da Semana Santa. Em alguns locais obtém grande valorização, sendo comercializado até 30 reais o quilo nos festejos.

“Ter água encanada em casa era um sonho”, declara beneficiária de SSAA, em Matinha

Dores nas costas, na cabeça e tontura são queixas de Ivaneide Ribeiro, de 53 anos, moradora do povoado João Luís, município de Matinha. Para ter água em casa para beber e preparar os alimentos, ela tinha uma rotina pesada. Transportava a água numa canoa e ao chegar na beira do campo, carregava na cabeça os baldes para dentro de casa.

Com a chegada de um Sistema Simplificado de Abastecimento de Água (SSAA) na comunidade em que ela mora, entregue, semana passada, pelo Governo do Estado, por meio do Sistema de Agricultura Familiar, Ivaneide Ribeiro realizou um sonho antigo, o de ter água encanada em casa. O Sistema de Agricultura Familiar, Sistema SAF, é formado pela Secretaria de Estado de Agricultura Familiar (SAF), Agência Estadual de Pesquisa Agropecuária e de Extensão Rural do Maranhão (Agerp/MA) e Instituto de Colonização e Terras do Maranhão (Iterma/MA).

“Eu rezava, todos os dias, para essa água chegar na minha casa e, graças a Deus, agora, esse sonho é realidade. A gente sofria muito com a falta d’água. No período da seca a gente pagava carro ou moto para trazer os baldes de água em casa. Agora, neste período chuvoso, a gente traz na canoa. É um esforço muito grande”, relatou. Em Matinha, a SAF entregou três SSAAs, nos povoados Malhada, Vilinha e João Luís. Com esses equipamentos, cerca de 200 famílias terão água potável disponível em suas casas.

Para o secretário de Estado de Agricultura Familiar, Júlio César Mendonça, levar água de qualidade a locais que, antes, eram esquecidos pelo poder público mostra como o Governo do Estado está priorizando a população que mais precisa. “Água é essencial para se ter dignidade, produção e qualidade de vida”. Até o momento, foram entregues 18 SSAAs distribuídos nos municípios de Açailândia, São Raimundo das Mangabeiras, Icatu, Lago do Junco, Peritoró, Duque Bacelar, Tuntum, Nova Colinas e Matinha.

A presidenta da Agerp/MA, Loroana Santana, explicou que as ações do Governo do Estado de levar água às famílias da zona rural visam promover qualidade de vida por meio da implantação de condições sanitárias domiciliares, abastecendo esses municípios com água potável para atividades domésticas e para pequenas produções agrícolas. “Com essas ações estamos resgatando a cidadania e solucionando casos de doenças transmitida pela má qualidade da água”.

O SSAA é composto por poços tubulares, reservatórios com capacidade de 15 mil litros e redes de distribuição com ligações domiciliares. Tem como objetivo o fornecimento de água para consumo e produção das famílias. Portal do Governo do Estado

Artigo: Thiago Chaves, a integridade em pessoa…

Este mês completa-se mais um ano do falecimento de Tiago Basílio Chaves, meu sogro, um homem cuja honestidade deixava a vista a sensação de que vale a pena viver de modo reto e pacifico, um homem acima do seu tempo, do qual tenho muito orgulho em ter convivido, além do privilégio de ser seu genro.

Conheci-o quando comecei a namorar com Antonia, cabelos todos brancos, porém corpo ainda sagico. Havia se aposentado pelo INSS, mas para complementar a renda tinha que viajar toda semana para S. Luís, onde trabalhava numa terceirizada da ALUMAR. Voz mansa, articulada, passávamos bons momentos conversando sobre vários assuntos, dentre eles, um que gostava muito, política. Possuía uma sabedoria inata, e a passava de modo calmo e com conhecimento pleno do assunto.

Seu Tiago nasceu 23 de maio de 1927, era filho de Máximo Antonio Chaves e Teodora da Conceição Fernandes Chaves, sendo portanto descendente tanto por parte de pai, como da mãe, de famílias tradicionais da cidade Arari. Teve uma infância humilde, com criação firme, dentro dos valores católicos tão em voga na terra das melancias, fator que condicionou, formatou, delineou, sua imagem, transformando –o num adulto com excepcional padrão moral e ético

Exímio carpinteiro e calefateiro, cuidava com capricho das suas ferramentas e canoas que viviam à margem do rio Mearim. Gostava de passear pelo quintal da casa, patacho (em Arari chamam catana), na mão, limpando e cuidando das plantas, juntando mangas, bacuri-pari, sapoti, botando milho para as galinhas e patos, tirando mel de abelhas das caixas ou preparando garapa e mel no pequeno engenho de cana de açúcar.

Jamais questionou minha vida, quem eu era, de onde vinha. Com várias filhas moças e bonitas em casa, tratava todos os pretendentes – e nós éramos muitos-, do mesmo jeito: afável e educadamente. Nunca o vi zangado, a voz mansa ecoava na casa da Trizidela denotando sem quaisquer atitudes agressivas quem era a autoridade. Lembro com carinho dos nossos papos, geralmente versando sobre a política nacional. Seu jeito amável, propugnava um conhecimento grande do assunto debatido, a experiência dos anos passados, ensinava até na hora de manter silencio.

Amado e respeitado pela comunidade, quando em algum lugar de Arari, perguntavam quem eu era, a resposta vinha logo, “sou genro de Tiago Chaves”, “,Ah Tiago, é gente boa”, “integra”, diziam. Seu nome era literalmente uma chave, abria a porta de amizade e confiança nas pessoas, encerrando qualquer forma de desconfiança, e nos integrando naquele rol.

Sinônimo de tranquilidade e certeza de reconhecimento, assim é ser genro de Tiago Chaves. Estima e consideração tinha por todos nós, desde o marido da filha mais velha, Joaozinho, ao da caçula, Manoel. Seu Tiago teve 13 filhos, (04) homens e (09) mulheres, sendo 12 com dona Zica, mãe de Antonia, e um da primeira esposa, que morreu de parto.

Quase nunca parava, encontrá-lo dormindo, impossível. Pai de 05 moças bonitas em casa, o fluxo de rapazes pretendentes era muito grande naquela época. Mantinha uma postura inabalável, respeitando a todos, porém guardando distância, sem parecer arrogante ou hostil, mas como quem diz, “cuidado com o teu comportamento, as filhas são minhas, e quem manda aqui sou eu”. Recado dado, recado posto em pratica, afinal ninguém queria perder seu objetivo.

Dotou a família de um estilo único: o domingo era o dia de todos os filhos, mulheres e homens, se reunirem em sua casa, com maridos, esposas, neto(a)s, e eventuais namorados ou namoradas dos netos, para já ir se acostumando com a regra: uma vida integrada em torno do que ele mais prezava, o respeito. Nesses momentos as brincadeiras corriam soltas, numa confraternização, cujo ápice era o gostoso almoço preparado por dona Zica- a segunda melhor cozinheira que conheço-, e a quantidade de pacotes das sobras, no final da tarde, que todos levávamos pra casa. Um belo exemplo de unidade familiar, que mesmo depois de sua morte continua sendo mantido.

Creio ter deixado este mundo feliz, ao lado da esposa, cercado de filhos e netos, que o tinham como bastião dos bons procedimentos, amado, honrado, respeitado. Ficou como legado, sua vida inatacável em todos os aspectos, indicando pra nós, filhas, filhos, noras, genros, netas e netos, um futuro a ser imitado e seguido.

João Carlos da Silva Costa Leite, é natural de Matinha. Bancário aposentado, casado, presbítero em disponibilidade da Igreja Presbiteriana Independente do Brasil (IPIB). Membro do Fórum em Defesa da Baixada Maranhense (FDBM). Membro fundador da Academia Matinhense de Artes, Ciências e Letras (AMCAL), ocupando a cadeira de número 17. Graduando em Filosofia pela Universidade Federal do Maranhão (UFMA).

Prefeita Linielda entrega pacote de obras para a população durante as comemorações dos 70 anos de Matinha

Para comemorar os 70 anos da cidade de Matinha, a prefeita Linielda entregou um pacote de obras e ações para a população. A festa foi realizada durante três dias, com a participação macica dos matinhenses e de autoridades.

Entre os presentes estavam o deputado federal Marcio Jerry, ex-secretário de Assuntos Políticos do governador Flávio Dino, além de secretários de estado, vereadores e secretários municipais.

Na programação, foram entregues aos moradores diversos poços artesianos, praças, pontes, unidades básicas de saúde e outras ações e atividades organizadas pelas secretarias municipais.

“Foi uma festa bonita e do tamanho que a nossa população merece”, disse a prefeita Linielda ao comentar positivamente o pacote de ações e obras entregues em Matinha.

Vejam as fotos do fotógrafo e repórter Eládio Filmagens…

Blog do Jailson Mendes

Ex-prefeitos, senadores, vereadores, deputados e Governo do Estado divulgam mensagem sobre os 70 anos de Matinha

Diversos ex-prefeitos, senadores, vereadores, deputados e o Governo do Estado divulgaram hoje mensagem sobre os 70 anos de emancipação política do município de Matinha.

A cidade comemora hoje 70 anos e uma vasta programação tem sido realizada pela Prefeitura Municipal para comemorar a data. Entre as autoridades que participam, está o deputado federal Marcio Jerry, que gravou um vídeo ao lado da prefeita Linielda.

Ao Blog do Jailson Mendes, o ex-prefeito Beto Pixuta enviou sua homenagem ao povo de Matinha, cidade que ele administrou até 2016. No mesmo sentido, o ex-prefeito Dr. Emano Travassos também divulgou foto parabenizando a cidade. O vereador Márlio de Zé Mario também divulgou sua homenagem aos 70 anos do município.

Entre os deputados federais e estaduais que divulgaram também suas homenagem, estão Pará Figueiredo, Glaubert Cutrim, Mical Damasceno, Marreca Junior e outros. A senadora Eliziane Gama também sua sua rede social para parabenizar o povo de Matinha pelo aniversário.

Por fim, o Governo do Estado também enviou suas homenagens à população de Matinha pelos 70 anos de emancipação. Vejam…

Blog do Jailson Mendes

Crônica em homenagem aos 70 anos: Um canto chamado Matinha…

Zilda Cantanhede

Neste dia memorável em que nossa cidade completa 70 (setenta) anos de emancipação política e administrativa, temos muito o quê agradecer, mas sobretudo para quem agradecer, especialmente àqueles que fizeram e fazem a Matinha que temos.

No poema Escola, Paulo Freire ressalta a importância das pessoas, ele fala de gente. Parafraseando – o, destaco a importância de todos no crescimento e desenvolvimento de um país, um estado, uma cidade, um município ou um canto para chamá – lo e tê-lo como seu. Não estamos isolados, não estamos sós, não somos sós. Somos uma colméia! Somos dependentes uns dos outros, de pessoas que dia pós dia de alguma forma, ou á sua maneira dão o melhor de si para que o reflexo do outro tenha mais brilho nesta construção.

Somos gentes! Gente que sonha, que luta, que sofre, que conquista, que ousa, que cresce, que faz história e que é protagonista dela. O lavrador é gente, a doméstica é gente, o professor é gente, o político é gente, o enfermeiro, a parteira é gente, o médico é gente,  o gari é gente, a costureira é gente, o advogado é gente.

É nesta aglomeração, nesta pluralidade que os singulares se encontram, reencontram – se e encontram razões para contar seus feitos, lembrar suas saudades individuais e ou  coletivas; razões para viver. Não importa a distância ou tempo, este sábio e transformador das coisas e pessoas. Que maravilha é o tempo! É o tempo que nos faz mais experientes, mais sábios, muitas vezes mais humanos.

Matinha já teve grandes personalidades políticas, ou não, as quais geriram, contribuíram e fizeram deste canto o seu canto, um canto alegre e festivo; minhas  homenagens póstumas a essas celebridades. Aos que aqui estão, visitam, permanecem, vivem e moram, minha alegria em tê-los nesta colméia para compartilhar saberes, experiências, etc.

Matinha é uma biblioteca viva!  Um celeiro de histórias feitas e escritas por mãos de mestres, arquitetos de futuros promissores. Pois nossa história começa num passado bem antes destes 70 anos de emancipação.  Hoje, 15 de fevereiro de 2019, é um dia histórico, cuja festa está marcada e destacada  no calendário com as cores vermelha e verde, representando o amor e a esperança. Dois substantivos tão substanciais e necessários nas nossas vidas, e de quem deseja o melhor para si, para os seus e para todos.

Faço um recorte especial para o amor pela nossa terra! O amor, este sentimento nobre e muitas vezes exaltado e expresso de diversas formas, por muitos poetas, ao se referirem ás suas terras, seus torrões. João do Vale cantou sua terra.  Eu também canto a minha. Um salve para a nossa Pequena Mata, para nossa querida Matinha. Como bem ilustra o compositor matinhense, Luís Kleber Furtado Brito, imortal da Academia Matinhense de Ciências, Artes, e Letras – AMCAL, na letra da música Canto para um canto ”Todo mundo tem um canto onde sempre é mais feliz, um caminho, a capital, uma cidadezinha.  Por isso eu canto, o meu canto é, Matinha”.

A todos e todas que cantam este canto para Matinha, meus sinceros sentimentos patrióticos e fraternos.

Avante Matinha! Afinal, fomos emancipados.

Soltem os foguetes, sem rebordosas!

Parabéns!

Zilda Cantanhede

Acadêmica, membro fundadora e Secretária da Academia Matinhense de Ciências, Artes e Letras; Especialista em Língua Portuguesa e Linguística, Educação do Campo, Educação Pobreza e Desigualdade Social; Graduada em Letras e Filosofia; Professora da Rede Estadual de Ensino, Secretária Municipal de Educação, Ciência, Tecnologia e Inovação de Matinha MA.

Matinha completa hoje 70 anos de emancipação política; prefeita Linielda divulga homenagem

O município de Matinha completa hoje seus 70 anos de emancipação política. Para comemorar a data, a prefeita Linielda de Eldo realiza uma grande festa com inaugurações de obras, ações e shows desde a última quarta-feira.

Entre as inaugurações, a gestora entregará poços artesianos, praças, pontes, unidades básicas de saúde, reforma de prédios educacionais e de saúde e outras ações.

Em mensagem ao aniversário, Linielda divulgou imagem parabenizando a cidade. “Comemorar o seu aniversário é um privilégio, é olhar para trás com gratidão e para frente com fé”, disse a gestora.

Conheça a história de Matinha

No meados do século XIX, os colonizadores padre João do Lago e comendador Antônio Alves da Silva, instalaram, nas proximidades da atual sede municipal, engenhos de açúcar. Ao mesmo tempo, o comendador José Belfort e o caboclo Eziquiel Meireles instalaram fábricas de farinha da mandioca.

Esses proprietários se fizeram acompanhar de um elevado número de escravos que contribuíram decisivamente para o desbravamento do território. Mais tarde, os filhos de Antônio Alves da Silva, Serapião e Gustavo Serra e Silva fixaram-se na margem da estrada que ia para Viana, instalando ali pequeno comércio.

Com a abolição da escravatura, elevado número de escravos e mestiços das fazendas vizinhas vieram se instalar nas proximidades da casa comercial, formando um núcleo residencial que se desenvolveu, possibilitando a formação do povoado de Matinha.

Em divisões territoriais datadas de 31-XII-1936 e 31-XII-1937, figura no município de Viana o distrito de Matinha. No quadro fixado para vigorar no período de 1939-1943, o distrito de Matinha permanece no município de Viana.

Elevado à categoria de município com a denominação de Matinha, pela lei estadual nº 267, de 31-12-1948, desmembrado de Viana. Sede no antigo distrito de Matinha. Constituído do distrito sede. Instalado em 15-02-1949. Em divisão territorial datada de 1-VII-1960, o município é constituído do distrito sede. Assim permanecendo em divisão territorial datada de 2005. Fonte: IBGE

Blog do Jailson Mendes

Alerta de fenômeno meteorológico nas próximas horas em Olinda, Matinha, São Vicente, Viana, Cajapió, Penalva, S. J. Batista e outras cidades

De acordo com o INPE (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais), há risco moderado para ocorrência de fenômeno meteorológico adverso dentro das próximas 72 horas no Maranhão. Nas últimas semanas, casas foram destelhadas e árvores foram derrubadas por fortes ventanias nas cidades da Baixada Maranhense.

Ao todo, o instituto emitiu alerta para 199 municípios maranhenses, entre eles Olinda Nova do Maranhão, Matinha, São Vicente Ferrer, Viana, Cajapió, Penalva, São João Batista, São Bento, além de outras cidades como Pinheiro, Vitória do Mearim e Palmeirândia, que poderão ser afetados pelo fenômeno.

Nesta área, ocorrerão pancadas de chuva que, pontualmente, poderão ser intensas e vir acompanhadas de rajadas de vento durante essa quinta-feira (14). Ao final do dia, haverá condição para acumulados expressivos em alguns pontos.

A capital São Luís amanheceu debaixo de uma forte chuva e a previsão é de mais chuva ao longo do dia. A temperatura máxima na cidade não deve passar dos 30º.

Previsão de chuva forte também em Imperatriz a qualquer hora do dia. Máxima de 33º na região. Em Araioses, Arari e Axixá, muitas nuvens com curtas aberturas e pancadas de chuva localizadas a qualquer hora do dia. A máxima nestes locais não deve passar dos 33º.

Vejam AQUI lista completa de municípios que deverão ser atingidos.

Blog do Jailson Mendes