Seduc divulga resultado de seletivo com vagas para S. J. Batista, Viana, S. Vicente, Arari, Olinda, Matinha, Vitória, Penalva e outras cidades

A Secretaria de Estado da Educação (Seduc) divulgou, nesta terça-feira (21), o resultado preliminar do Processo Seletivo Simplificado para a  contratação temporária de professores referente ao edital n° 17/2019. Continue lendo “Seduc divulga resultado de seletivo com vagas para S. J. Batista, Viana, S. Vicente, Arari, Olinda, Matinha, Vitória, Penalva e outras cidades”

Cajari, Olinda Nova e Cajapió chegam às finais da II Copa Quilombola de Futebol, realizada pelo Governo do Estado

Acontece neste sábado e domingo (18 e 19), em São Luis, a fase final da II Copa Quilombola de Futebol Troféu Negro Cosme, um campeonato envolvendo mais de 360 atletas oriundos de quilombos de 16 municípios maranhenses. O evento esportivo tem o apoio do Governo do Estado através das Secretarias de Igualdade Racial e de Esporte e Lazer e é realizado pelo Instituto Solis, com patrocínio da Cemar, por meio da Lei de Incentivo ao Esporte. Continue lendo “Cajari, Olinda Nova e Cajapió chegam às finais da II Copa Quilombola de Futebol, realizada pelo Governo do Estado”

Em Pinheiro, representantes de São João Batista, Olinda, Matinha, Cajapió e São Vicente discutem alimentação saudável

Representantes de São João Batista

O município de Pinheiro sediou, nos dias 24 e 25/04, no Enzo Parque, o Seminário Regional sobre o Pacto Nacional para Alimentação Saudável, promovido pelo Fórum Maranhense de Segurança Alimentar e Nutricional (FMSAN). O evento reuniu mais de 60 pessoas de 22 municípios da região para articular com a sociedade civil organizada, setor público e entidades, a promoção da alimentação saudável.

Participaram do seminário representantes dos municípios de Cururupu, Maranhãozinho, São Joao Batista, Santa Helena, São Bento, Pinheiro, Mirinzal, Governador Nunes Freire, Bequimão, São Vicente Ferrer, Guimarães, Cajapió, Presidente Sarney, Carutapera, Bacurituba, Pedro do Rosário, Porto Rico, Apicum-Açu, Olinda Nova, Palmeirândia, Matinha, Cândido Mendes e Viana.

O Pacto Nacional para Alimentação Saudável é uma realização do FMSAN em parceria com o Conselho Estadual de Segurança Alimentar e Nutricional (CONSEA) e a Secretaria de Estado do Desenvolvimento Social (Sedes). O seminário teve como objetivo chamar os munícipios a se engajarem e firmarem compromissos para ampliar as condições de oferta, disponibilidade e consumo de alimentos saudáveis, além de estruturar o Sistema Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional (SISAN) nos municípios.

Por onde o evento foi realizado, os municípios estão realizando seminários municipais e estão articulando ações de fortalecimento da segurança alimentar e nutricional dos municípios. Na programação dos dois dias de evento foi apresentado aos participantes a operacionalização do Sistema Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional (Sisan), instituído em 2006 com o objetivo de assegurar o Direito Humano à Alimentação Adequada (DHAA). Também foi realizada apresentação do Pacto Estadual para alimentação saudável, passo a passo da pactuação, as diretrizes, eixos, desafios e as metas do pacto.

Além de Pinheiro, o Pacto Nacional pela Alimentação Saudável já foi realizado, no mês de março no município de Imperatriz, este mês em Santa Inês e nos dias 08 e 09 de maio será realizado em Caxias. Com a realização dos três seminários, 80 municípios participaram com a participação de mais de 200 representantes do poder público e das entidades da sociedade.

Artigo: O potencial turístico da Baixada Maranhense…

Flávio Braga – Com o objetivo de divulgar o potencial turístico de Viana e da região da  Baixada Maranhense,  a Rádio e TV Maracu promoveu um aprazível passeio náutico no último dia 13/04, reunindo baixadeiros e amigos da Baixada. Foi a segunda edição dessa aventura fantástica. A primeira ocorreu em 2018. O passeio saiu do parque Dilu Melo em Viana e incluiu paradas na cidade de Cajari e no bar Brisas do Aquiri em Matinha. Em 2020, a emissora promete intensificar essa belíssima agenda turística, com o acréscimo de um roteiro para Penalva.

A Baixada Maranhense foi transformada em Área de Proteção Ambiental (APA) em face da sua importância ecológica, especialmente para as numerosas espécies de aves migratórias, que a utilizam como ponto de descanso, alimentação e reprodução.

Na estação chuvosa, a Baixada se transforma em uma imensa planície alagada e verdejante, que forma o majestoso Pantanal Maranhense, com toda a sua diversidade de fauna e de flora, que a transforma num santuário ecológico de rara beleza. Essa paisagem esplendorosa muda de acordo com a época do ano. Do ponto de vista socioeconômico, é uma região vocacionada ao ecoturismo sustentável.

O rosário de lagos e os campos floridos da Baixada constituem atrativos naturais extraordinários que merecem ser explorados economicamente, tendo em vista o seu imenso potencial de captação turística, que precisa ser encarado como um mecanismo indutor do desenvolvimento sustentável da região, sobretudo pela sua capacidade de gerar trabalho e renda a uma população carente e historicamente desassistida.

A partir do seu ecossistema diversificado e da sua cultura peculiar, a Baixada é naturalmente propensa ao desenvolvimento da indústria do turismo e tem como ofertar uma infinidade de produtos turísticos, como cavalgadas, pesca, trilhas, mergulhos, motociclismo, gastronomia típica, artesanato, folguedos, tradições religiosas, festas folclóricas, danças populares, patrimônio arquitetônico, passeios náuticos,camping etc.

A indústria do turismo se alicerça em três pilares: a infraestrutura dos destinos turísticos (hotéis, bares, restaurantes, transporte e espaços para eventos), a qualidade e criatividade dos serviços oferecidos aos visitantes e uma política de divulgação eficiente. Nesse passo, é imperioso que os gestores municipais da Baixada e os empresários maranhenses sejam sensibilizados e internalizem a ideia da mudança de hábitos e quebra de paradigmas, a fim de superarem o marasmo que norteia a aplicação das mesmas políticas públicas de sempre e das repetitivas oportunidades de negócios.

Já passou da hora de os nossos governantes e empreendedores privados compreenderem que a política de turismo no Maranhão não pode se restringir eternamente aos Lençóis Maranhenses e à Chapada das Mesas. Por fim, registro as minhas homenagens à emissora Radio e TV Maracu por ser uma grande entusiasta do ecoturismo na Baixada Maranhense.

Ex-prefeito de São João Batista, Luiz Figueiredo, fala sobre polêmica do deputado Edilázio Junior

O ex-prefeito de São João Batista, Luiz Figueiredo, enviou um comentário ao Blog do Jailson Mendes sobre a polêmica declaração do deputado Edilázio Junior, sobre a construção, por parte do Governo do Estado, de um terminal na Península, região nobre da capital do Maranhão.

Luiz Figueiredo, ex-prefeito de São João Batista

Segundo ele, o projeto não beneficiará a Baixada Maranhense. “Não tenho nada contra a construção de terminais de embarque na área da Península da Ponta da Areia, porém a justificativa não convence, diminuir a distância e favorecer os moradores da Baixada”, afirmou.

“Primeiro, da Praia Grande à Ponta da Areia a distância é tão pequena que não justifica, segundo a Baixada propriamente dita compreende essa imensidão que vai de Santa Helena a Cajari, portanto esse projeto não irá beneficiar uma das regiões mais bonitas e produtivas do Estado. Esses terminais irão beneficiar Alcântara e o litoral norte, assim como a propalada Ponte de Bequimão não irá trazer quaisquer benefícios aos municípios da baixada,mas também a região do litoral, sendo um projeto de grande alcance que diminuirá bastante a distância entre a baixada e o litoral”, argumentou o ex-gestor do município de São João Batista.

Ainda segundo Luiz Figueiredo, é preciso que o Governo do Estado e as instituições voltem as atenções para outro projeto. “É hora de priorizar o projeto que beneficia diretamente toda a Baixada Maranhense que liga Bacabeira ao Centro da Baixada diminuindo a distancia em mais de 200 km, com econômica de tempo, combustível, passagens e fretes e poupando bastante o tráfego na Na 014. Um projeto de baixo custo, com viabilidade ambiental já aprovada pela SEMA e incluído no Plano Rodoviário do Estado”, continuou.

Por fim, o ex-prefeito disse que este sim beneficiará a nossa região. “Por que não decidir por um projeto mais viável, com um alcance social muito grande, sem qualquer polêmica e que verdadeiramente vai Beneficiar a Baixada. A nossa região precisa ser vista e apoiada pelos políticos porque ali está um dos maiores colégios eleitorais e é difícil um parlamentar que não tenha recebido votos dessa gente boa e generosa que agora precisa viabilizar o seu desenvolvimento. Caminho para integração da Baixada ao futuro pólo de Bacabeira”, finalizou.

Nas últimas 24 horas, chuvas causam prejuízos em Penalva, Cajari, Matinha e Viana; vejam as fotos e vídeos

As cidades de Penalva, Cajari, Matinha e Viana contabilizaram diversos prejuízos nas últimas 24 horas. A situação é grave e algumas cidades já tem gente desabrigadas, além disso o volume de água que está caindo nestes municípios só aumenta.

A situação também atinge os demais municípios da Baixada Maranhense. Segundo as informações chegadas ao Blog do Jailson Mendes, a pior situação está sendo enfrentada pelos moradores de Cajari, onde as cheias já inundaram casas e tem famílias inteiras desabrigadas, esperando socorro.

Hoje cedo, uma barragem do povoado Roque foi levada pela chuva na cidade de Matinha. Uma ponte foi feita recentemente, mas também ameaça desabar. Em Viana, casas foram inundadas e algumas, como mostram as fotos, foram quase encobertas pelas águas. A maioria delas, ficam próximos aos lagos.

Em Penalva, choveu 87 milímetros nas últimas 48 horas e a Prefeitura Municipal, em comunicado oficial, disse que não houve ainda registro de desabrigados, mas há informações de que casas ribeirinhas foram alagadas. O cais da cidade foi praticamente pro fundo, com efeito ainda das cheias.

“Por causa da intensidade das chuvas, a Prefeitura Municipal de Penalva em conjunto com a Defesa Civil, monitora o volume dos rios que banham a cidade e orientam a população dos riscos e quase 250 crianças já foram vacinadas nos povoados com risco de alagamento. Entre as vacinas estavam às contra hepatite B, febre amarela, DTP”, diz o comunicado. 

Vejam as fotos e vídeos enviados ao Blog do Jailson Mendes…

Vejam os vídeos neste link https://www.youtube.com/channel/UC5LOrr46_dA-2O0FZo07cow?view_as=subscriber

Com quase 10 mil votos na região, deputado Edilázio Junior faz discurso contra porto para beneficiar Baixada Maranhense

Deputado Edilázio Junior

Uma polêmica fala do deputado federal Edilazio Júnior sobre a construção de um terminal aquaviário na Península da Ponta D’areia, área nobre de São Luís, está revoltando os moradores da Baixada Maranhense. Na região, o parlamentar teve quase 10 mil e em algumas cidades, ele chegou a ter mais de 1.500 votos.

A obra, do governo do Estado, diminuirá o tempo da travessia entre São Luís e Alcântara. Em seu discurso durante uma assembleia com moradores da Península, Edilazio falou que vários ludovicenses teriam saído de outros bairros para a região em busca da qualidade de vida que passou a existir há pouco tempo. “Hoje vocês tem uma vida própria. Vocês não precisam sair daqui mais pra nada, tem entretenimento para comer bem, beber bem, enfim”, disse. “Eu como morador da Península não queria conviver com essa situação que vocês vão passar a ter aqui”, disse, ao usar o exemplo da sua babá que é de São Bento e que iria ter que ir para a Península para atravessar para a Baixada.

“Se fosse aquilo ali ia ser muito bacana que cada um poderia ter sua lancha, poderia seu barco, seria já algo a mais para agregar à Península da Ponta D’Areia. Mas, o que de fato vai trazer, o público que vai vir pra cá, é um público que não tem nada a ver com vocês, não tem nada a ver com a gente e sem desmerecer, que não entendam mal, mas o que vai vir pra cá é o público C e não adianta falar de turismo, que não tem turista”, questionou sobre a instalação do cais.

Para ele, o cais se tornaria uma alternativa para a Baixada Maranhense, que ao invés de fazer viagens de 1:30 hora a 3 horas, passaria a fazer o mesmo trecho em cerca de 45 minutos. “E o que que vai vir pra cá? Vai vir os carrinhos, vai vir mototáxi”, afirmou aos moradores. Foi essa fala que revoltou os moradores da nossa região e diversas manifestações foram colocadas nas redes sociais, entre elas a do superintendente de Articulação Política do Estado, Luiz Everton.

O ex-vereador disse que foi uma fala infeliz e desnecessária por parte do deputado e que espera que o projeto siga em frente, onde beneficiará também os baixadeiros. Luiz disse que não é aceitável que qualquer região seja objeto de preconceito e que lamenta o posicionamento do deputado. O projeto aprovado pelo governador Flávio Dino para a construção de dois Terminais Portuários ligando São Luís à cidade de Alcântara vai mudar radicalmente o transporte entre as duas regiões. Aguardada há mais de duas décadas, a obra vai garantir o transporte de passageiros e de cargas 24 horas por dia.

Em nota, o deputado tentou se explicar, pediu desculpas se foi mal interpretado e atribuiu os ataques às constantes denúncias que tem feito contra o Governo Flávio Dino. O Blog do Jailson Mendes fez um levantamento de quantos votos o parlamentar teve nas cidades da Baixada Maranhense…

Vejam

São João Batista: 1.528 votos

Bequimão: 1.357

Igarapé do Meio: 994 votos

Matinha: 909 votos

São Vicente Ferrer: 827 votos

Bacurituba: 733 votos

Cajari: 697 votos

Cajapió: 183 votos

Anajatuba: 101 votos

Peri Mirim: 150 votos

Vitória do Mearim: 102 votos

Presidente Sarney: 87 votos

Viana: 64 votos

Santa Helena: 64 votos

São Bento: 61 votos

Monção: 55 votos

Pedro do Rosário: 53 votos

Pinheiro: 50 votos

Penalva: 27 votos

Arari: 27 votos

Palmeirândia: 20 votos

Olinda Nova: 20 votos

Bela Vista do Maranhão: 07 votos

Artigo: Dilúvio na Baixada Maranhense e seca iminente…

O Maranhão, em geral, e a Baixada Maranhense, em particular, têm experimentado  uma precipitação pluviométrica sem precedentes nas últimas décadas. O volume das fortes chuvas acarreta o aumento dos níveis dos rios e lagos, provocando enchentes e inundações nas comunidades ribeirinhas. O rosário de lagos da Baixada transborda, se interliga e se converte em uma vasta extensão de água doce.

Na estação chuvosa anual, a Baixada se transforma em uma imponente planície alagada, que adorna o majestoso Pantanal Maranhense. Em 2019, esse fenômeno tem atingido proporções hiperbólicas.

Para surpresa de ninguém, uma situação insólita se avizinha. Daqui a alguns meses, essa mesma Baixada estará agonizando com o martírio da estiagem, desnudando um paradoxo sinistro, que mutila as regras da lógica e as leis da razão. A falta de água já se tornou uma calamidade pública anual, que submete as comunidades baixadeiras às mesmas privações e ao mesmo suplício durante o período crítico do verão maranhense.

 

Esse quadro de penúria é uma tragédia previsível e anunciada, mas incapaz de sensibilizar as autoridades que têm o poder de minimizar tamanho sofrimento, as quais fazem ouvido mouco para o grito de socorro ecoado da voz dos baixadeiros.

Causa assombro lembrar que entre os meses de abril e agosto de cada ano a Baixada fica envolta num verdadeiro mar de água doce. Entretanto, na época do abaixamento (entre julho e setembro), essa exuberância de água escoa para o mar e os campos da Baixada se transformam numa paisagem árida, imprópria para qualquer atividade produtiva, como consequência direta da omissão, descaso e negligência do Poder Público.

Conforme já enfatizamos repetidas vezes, as soluções para melhorar as condições de vida do povo que habita a Baixada são baratas, simples e de fácil resolução. Só depende da vontade política dos nossos governantes.

Quem conhece de perto a realidade da Baixada tem a noção exata do quanto são singelas as intervenções necessárias para represar a abundância de água das chuvas e salvar a Baixada do drama da escassez de água anual: açudes e barragens para conter a fuga da água doce dos campos e lagos da Baixada para a Baía de São Marcos. Simples assim.

Com efeito, a retenção da água doce nos campos da Baixada representa a maior riqueza para as atividades de pesca de subsistência, pecuária, piscicultura, agricultura familiar e pequenas criações, como galinhas, patos, porcos, caprinos e ovinos.

Flávio Braga, advogado e presidente de honra do Fórum da Baixada

Nona extração do bingão ‘Baixada Premiada’ terá quase 20 mil em prêmios, compre sua cartela

A nona extração do Bingão ‘Baixada Premiada’ será realizada no próximo dia 14 de abril e terá quase 20 mil reais em prêmios. O bingão está sendo organizado pelo grupo ‘Mega Solidário’.

Na compra de uma cartela, você estará ajudando a Associação Beneficente Resgatando Vidas, que atua em São Vicente Ferrer e outras cidades da Baixada Maranhense e que precisa construir sua sede, mas já atende dependentes químicos e outras pessoas que precisam de ajuda.

E atenção, nesta próxima extração, são quase 20 mil reais em prêmios. A primeira, a segunda e a terceira rodada terá mil real em cada e na quarta, serão sorteados uma moto pop ou 5 mil reais em dinheiro vivo. Na quinta rodada, uma moto broz ou 10 mil reais em espécie.

Os compradores também terão a chance de participar de 10 rodadas da sorte, com 100 reais cada. O sorteio acontece no próximo dia 14, às 14 horas e será transmitido pela rádio mais ouvida da Baixada Maranhense, que é a Maracu AM e pela rádio Santa Helena FM.

A cartela custa apenas 5 reais e está sendo vendida em diversos pontos dos municípios e as demais informações podem ser adquiridas através dos números (98) 985398589 ou 996064135.

Em artigo, governador Flávio Dino anuncia conclusão da ‘Estrada do Peixe’, em Matinha

Governador Flávio Dino

Por todo o Maranhão, estamos vendo surgir muitos novos caminhos. Caminhos de oportunidades, oriundos de uma série de iniciativas do Governo do Maranhão e que têm feito renascer a esperança da nossa gente. Esperança na educação, na saúde, nos direitos humanos, na segurança, na infraestrutura e em diversas outras áreas tão essenciais para garantia da qualidade de vida da população.

O maior programa de infraestrutura viária da história de nosso estado está sendo executada em nosso Governo. É o Mais Asfalto, por meio do qual já construímos e recuperamos mais de 3 mil quilômetros de pavimentação em ruas, avenidas e estradas por todo o Maranhão. Definimos um planejamento coerente e efetivo de execução de obras, que alcançou as principais rodovias do Estado, devolvendo as condições adequadas de trafegabilidade. São milhares de veículos e pessoas que tiveram seus caminhos encurtados, as condições de acesso para turistas foram melhoradas e, em especial, o transporte de mercadorias registra ganhos que impactam nos custos de produtos, beneficiando a economia local.

Entregamos estradas fundamentais para a logística estadual, como a Estrada do Arroz, beneficiando a Região Tocantina, e a rodovia entre Pedro do Rosário e Zé Doca, atendendo à Baixada Maranhense e à região da BR-316. Este ano, já entregamos a primeira ecorrodovia maranhense, a MA-315, que liga Barreirinhas a Paulino Neves, na Região dos Lençóis, encurtando caminhos até os estados do Piauí e Ceará, e a MA-110, entre São Bernardo e Luzilândia, no Baixo Parnaíba. E acabam de ser concluídas a MA-307, entre Presidente Médici e Centro do Guilherme e a Estrada do Peixe, entre Matinha e Itans.

Também viabilizamos a chegada do Mais Asfalto na porta de muitos maranhenses, em diversos locais, pela primeira vez. Mais que pavimentação, levamos condições básicas de saneamento, saúde e bem-estar para a população. Como Estado e pelo bem do povo, decidimos trabalhar de mãos dadas com as Prefeituras, que sozinhas, nesse momento econômico tão difícil que enfrentamos, não conseguiriam fazer tanto quanto fizemos juntos. Fizemos com todos, sem distinção de partidos políticos ou ideologias, porque fazemos pensando nas pessoas.

E o trabalho continua. Agora, em meio ao período rigoroso de chuvas, além das frentes de pavimentação, também em apoio aos municípios, empenhamos esforços na recuperação emergencial de ruas e estradas atingidas, para garantir o tráfego com segurança nesses locais.

Desde o início de nossa gestão no Governo do Estado, já destinamos mais de R$ 1,5 bilhão para construção e recuperação de trechos importantes de ruas e estradas, em todas as regiões do Maranhão. E seguiremos com os investimentos em infraestrutura. Com planejamento e aplicação consciente do dinheiro público, continuaremos construindo as rotas de desenvolvimento de um novo Maranhão, melhor para todos.

Flávio Dino, governador do Maranhão

Estrada do Peixe, em Matinha

Moradores pedem asfaltamento de rodovia entre Bacurituba e Cajapió

Moradores enviaram fotos da situação da estrada entre os municípios de Cajapió e Bacurituba. O trecho faz parte da MA-310, de responsabilidade do Governo do Estado.

A rodovia está asfaltada entre São Bento e Bacurituba, mas entre o município e Cajapió nunca foi asfaltada, o que está sendo objetivo de pedidos por parte dos moradores e lideranças das duas cidades.

Segundo as informações, são apenas 17 quilômetros entre os municípios. O blog entrou em contato com o superintendente de Articulação Política do Governo do Estado, Luiz Everton, que informou que o Governo do Estado estuda o asfaltamento.

Luiz Everton disse ainda que o próprio governador Flávio Dino já solicitou um estudo para a recuperação da MA-310 e que aguarda mais informações para poder passar aos moradores.

O blog vai enviar as fotos aos secretários de Infraestrutura, Clayton Noleto; e ao chefe de Gabinete do Estado, Marcelo Tavares.

Em março, Viana recebeu mais de 6 milhões. Vejam os repasses para Cajapió, S. J. Batista, Penalva, Vitória, Olinda, S. V. Ferrer, São Bento e Matinha

Prefeito de Viana, Magrado Barros

A Prefeitura de Viana recebeu mais de 6 milhões do Governo Federal só nos últimos 29 dias. Os repasses são referentes ao mês de março e estão disponíveis no site de acompanhamento do Banco do Brasil.

A cidade, administrada pelo prefeito Magrado Barros, é uma das maiores da Baixada Maranhense e nos últimos meses vem recebendo uma enxurrada de denúncias por parte da população com relação a falta de pagamentos e infraestrutura.

Dos municípios que o Blog do Jailson Mendes cobre, São Bento e Penalva chegam perto do montante. Elas receberam entre 4 e 5 milhões cada uma e são administradas pelos prefeitos Luizinho Barros e Ronildo Campos.

Em comparação com o mês passado, as cidades de São Vicente, Matinha, São João Batista, Olinda, Vitória do Mearim e Cajapió tiveram perdas nas receitas.

Vejam os números dos demais municípios.

São João Batista R$ 2.997.410,26 C

São Bento R$ 5.365.796,33 C

Vitória do Mearim R$ 4.127.307,14 C

Penalva R$ 4.968.088,00 C

São Vicente Ferrer R$ 2.822.540,63 C

Viana R$ 6.053.312,24 C

Cajapió R$ 1.743.592,67 C

Olinda Nova do Maranhão R$ 2.230.012,55 C

Matinha R$ 3.203.385,35 C

Nova música de Marcos Messias destaca cerveja ‘Magnífica’, feita com mandioca no Maranhão; vejam o vídeo

Cantor Marcos Messias

O cantor de São João Batista, Marcos Messias, lançou seu mais novo trabalho, intitulado de ‘Magnífica’, que destaca a cerveja feita no Maranhão, a partir da mandioca.

A letra da composição falou sobre a nova tendência nos bares do Maranhão, destacando a Baixada. “De norte a sul do estado do Maranhão, de leste a oeste da Baixada Maranhense, quando o cliente senta na mesa de bar e o garçom lhe pergunta humildemente: o que é que o senhor vai tomar? Não precisa perguntar é Magnífica…é ma é ma magnifica, caiu na boca do povo e eu vou beber de novo, é magnifica”, diz.

A Magnífica é um cerveja saborosa, leve e refrescante, que foi criada para prestigiar as raízes do estado do Maranhão e brindar o orgulho de quem é nascido e criado na região. A marca tem como princípio fomentar o desenvolvimento da economia local do Maranhão com um modelo que desenvolve a cadeia produtiva, promove engajamento social e garante investimento local.

A cerveja será feita a partir da mandioca plantada e colhida na região de Tabuleiro de São Bernardo, no Maranhão. O ingrediente típico da região está presente na cerveja que será produzida e distribuída exclusivamente no estado.

Vejam a composição…

Após acordo na base de Alcântara, Abdon Marinho sugere construção de ponte entre Bacabeira e Cajapió ou São João Batista

Abdon Marinho

Em artigo, o advogado Abdon Marinho sugeriu que o acordo entre Brasil e Estados Unidos sobre a base de Alcântara pode ser uma oportunidade de melhoramento entre a Baixada Maranhense e Bacabeira, diminuindo o tempo e possibilitando melhorias na economia da região.

Para ele, o acordo é uma chance de mudar a realidade econômica do Maranhão, especialmente de Alcântara. “Criado em 1983, ou seja, há quase quarenta anos, o Centro de Lançamentos de Alcântara – CLA, não representou melhoras (talvez o contrário) na vida dos alcantarenses. O município, um dos mais antigos do estado, com quase quatrocentos anos, amarga indicadores econômicos e sociais baixos –como em todo Maranhão”, comentou.

O advogado disse que “a exploração comercial do CLA, não apenas pelos Estados Unidos, mas também por outros países, da Europa ou mesmo da Ásia, poderá mudar essa realidade e transformar economicamente não apenas Alcântara –que sobrevive graças aos repasses externos recebidos, que representam 96,1% de sua receita, segundo o IBGE –, o seu entorno, mas a economia de todo o Maranhão”.

Para ele, “inicialmente, para que haja viabilidade desta exploração comercial, será necessário melhorar a infraestrutura de transporte para fazer chegar peças, equipamentos, satélites e mesmo pessoas ao CLA” e citou os investimentos que poderiam vim a melhorar a Baixada Maranhense.

“Isso implica numa ampliação do próprio centro de lançamento, do Aeroporto Cunha Machado, do Porto do Itaqui, e da infraestrutura viária, com uma nova ponte ligando o Município de Bacabeira a Cajapió ou São João Batista (já que não parece viável financeira mente uma ponte marítima pela Baia de São Marcos) e a construção e/ou ampliação, com melhoria, das rodovias, ligando estes municípios ao Município de Alcântara, onde está localizado o CLA”.

Esse é um projeto antigo defendido pelo ex-prefeito Luiz Figueiredo, que já foi discutido em vários encontros e apresentado para vários deputados e governadores. Infelizmente, até agora, não foi implantado e nem destinado recursos. O artigo completo do advogado Abdon Marinho pode ser acessado AQUI.

Editorial: Chuvas e estradas vicinais desafiam administrações de prefeitos da Baixada Maranhense

Moradores, as vezes, se unem para arrumar trechos

Diariamente o Blog do Jailson Mendes recebe fotos, vídeos e informações de estradas vicinais de praticamente todos os municípios da Baixada Maranhense, principalmente dos que cobrimos durante a semana.

Moradores reclamam das situações de estradas que dão acessos aos povoados, que, com as chuvas, estão praticamente intransitáveis, desafiando as administrações de prefeitos e seus secretários de Obras e Infraestruturas.

Nas cidades de Penalva, São Bento, Viana, Matinha, São João Batista, Olinda, Cajapió, São Vicente Ferrer, Vitória do Mearim e outras, o problema tem se repetido diariamente e a população reclama, com razão, pois o que temos visto é a inércia de alguns gestores quanto à isso.

Alguns municípios já declararam situação de emergência, como a prefeita de Matinha, Linielda de Eldo. A situação, cabe ressaltar, não é de agora. Há vários anos o problema persiste e tem desafiado todos os prefeitos da Baixada Maranhense.

Diante desse quadro, faz-se necessário ações mais sólidas, capaz de amenizar a situação de moradores, estudantes e produtores que usam diariamente as estradas vicinais desses povoados. É preciso que as estradas vicinais não recebam atenção somente no inverno. O problema precisa ser combatido no verão.

É o que acha o blog…