Acusados de tentativa de homicídio e homicídio consumado são julgados a partir de hoje em Arari

A juíza Martha Dayanne Schiemann, titular da Comarca de Arari, vai presidir duas sessões do Tribunal do Júri nesta semana, dias 19 e 20 de julho. Os julgamentos serão realizados no Salão do Júri do Fórum de Arari e trarão como réus Edson César Soares Barbosa e Erick Márcio de Souza Oliveira. Na primeira sessão, Edson César é acusado de ter tentado contra a vida de Victor Dias Gomes, conhecido como Durval, fato ocorrido em 13 de maio de 2022, no Bar do Orlando. Narrou o inquérito policial que o denunciado teria se dirigido até a vítima, sacado uma arma de fogo e disparado.

Julgamentos começaram nesta quarta / Imagem ilustrativa

Versou a denúncia que a arma teria falhado e, ato contínuo, a vítima saiu correndo da festa em direção ao Campo do Padre, bairro situado atrás do Bar do Orlando. Apurou-se que o acusado teria perseguido Durval com a arma em punho, dizendo que teria comprado o revólver apenas para matá-lo. A Polícia Militar foi acionada, tendo recebido informações de que um homem havia realizado um disparo de arma de fogo dentro do clube de festa Bar do Orlando. Em diligência, os PM’s foram até o local, ocasião em que visualizaram César dentro do clube de festa.

Após uma revista no suspeito, eles encontraram com Edson César uma arma do tipo revólver calibre 32, oportunidade em que este confessou que havia efetuado o disparo de arma de fogo na festa. Diante do ocorrido, os policiais deram voz de prisão em flagrante ao denunciado, que foi conduzido à Delegacia de Polícia.

SOCO NO ROSTO

Em depoimento, o denunciado afirmou que o motivo do crime consistiu em vingança por suposta discussão entre eles dois, fato ocorrido um mês antes, após uma partida de futebol, quando a vítima desferiu um soco no rosto do denunciado, tendo o réu revidado com chutes e socos, ocasião em que passou a proferir ameaças de morte à vítima, e dizia que quando ficasse sozinho com a mesma, a mataria. Por fim, ele teria afirmado que poderia ficar preso por dez anos que, ainda assim, mataria o seu desafeto Durval.

No júri da quinta-feira, dia 20, o réu será Erick Márcio de Souza Oliveira, acusado de ter matado a vítima Nilton Lopes de Oliveira, com uma facada, fato ocorrido em 24 de fevereiro de 2013, no povoado Campo do Carmo, localidade rural de Arari. Nilton morreu a caminho do hospital. Relatou a denúncia que Erick teria acertado Nilton sem nenhuma discussão entre os dois. Em depoimento à polícia, Erick disse que golpeou Nilton por que ele sempre o chamava de ‘corno’.


Em tempos de desinformação, o Blog do Jailson Mendes reforça o compromisso com o jornalismo profissional, comunitário e de qualidade. Nossa página produz diariamente informações na Baixada Maranhense de forma responsável e que você pode confiar.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *