Referência na piscicultura no estado, Itans tem pedidos zerados para o ‘Portinho’ e reduzidos em 70% para o Mateus

Os produtores da cidade de Matinha estão sofrendo grandes prejuízos com a falta de venda dos pescados para supermercados e revendedores. Em alguns casos, os pedidos baixaram para 70% e outros até zeraram. Os dados são da Associação dos Produtores Rurais da Piscicultura e Pesca Artesanal do povoado Itans e Circuvizinhos (APPI).

Representantes da Aged visitaram o processo de produção do pescado em Itans

Segundo o presidente da instituição, Elizeu Gomes, o supermercado Mateus, principal comprador dos pescados produzidos em Matinha, baixou para 70% os novos pedidos e os revendedores do Portinho, em São Luis, zeraram os novos pedidos. “Um prejuízo enorme para todos nós que vivemos da piscicultura, sendo que estes dois vendedores são os nossos maiores compradores”, contou Elizeu.

O motivo disso tudo é a divulgação de notícias falsas sobre ocorrências de pessoas acometidas pela síndrome de Haff, conhecida como a doença da ‘Urina Preta’, principalmente no estado do Para, que tem causado pânico na população do Maranhão e prejudicando quem vive do ramo em todo o estado, apesar de não haver nenhum registro da doença em nenhuma cidade maranhense.

“Entende-se o medo do consumidor, porém, é descabido, pois esta doença não foi registrada em São Luís e em nenhum município do Maranhão. Nosso pescado é oriundo da costa maranhense e ou dos inúmeros açudes existente na Baixada, sendo peixes de qualidade, que nenhum mal causa a quem o consome”, garante o empresário Mivaldo de Jesus, comerciante do ramo no entreposto de pescados do Desterro.

Ele disse que não há motivos para ter medo, pois não tem registro de vítimas no estado e descarta que peixes de água doce são importados do Pará. O Maranhão é autosuficiente em peixes desta espécie, produzidos em larga escala nos municípios da Baixada Maranhense, notadamente do povoado Itans, em Matinha. Os empresários paraenses é que estão importando o produto do Maranhão.

Segurança

O presidente da associação do povoado Itans disse ao Blog do Jailson Mendes que a população não precisa temer o consumo de peixes, principalmente por que não há nenhum caso suspeito da doença e que todo o processo de produção do pescado da região é totalmente seguro, passando por todos os processos de segurança.

Elizeu contou que nesta terça-feira (21) recebeu uma equipe da Agência Estadual de Defesa Agropecuária do Maranhão (Aged) justamente para mostrar como é o processo de produção do peixe de Matinha. “A agência acompanhou passo a passo e o nosso peixe é seguro, produzido em cativeiro com água monitora, ração balanceada e renovada e com carregamento adequado”, comentou.

A doença

A doença é causada por uma toxina que pode ser encontrada em determinados peixes como o tambaqui, o badejo e a arabaiana ou crustáceos (lagosta, lagostim, camarão).

Quando o peixe não foi guardado e acondicionado de maneira adequada, ele cria uma toxina sem cheiro e sem sabor. Ao ingerir o produto, mesmo cozido, a toxina provoca a destruição das fibras musculares esqueléticas e libera elementos de dentro dessas fibras no sangue, ocasionando danos no sistema muscular e em órgãos como os rins.

Sintomas

Ocorre extrema rigidez muscular de forma repentina, dores musculares, dor torácica, dificuldade para respirar, dormência, perda de força em todo o corpo e urina cor de café, pois o rim tenta limpar as impurezas, o que causa uma lesão na musculatura. A doença causa muitas dores musculares, lembrando a dengue, porém sem febre. Os sintomas costumam aparecer entre 2 e 24 horas após o consumo dos peixes ou crustáceos.

2 respostas para “Referência na piscicultura no estado, Itans tem pedidos zerados para o ‘Portinho’ e reduzidos em 70% para o Mateus”

  1. De fato nada poderia deixar a população. Pânico sobre está toxina, as evidências são tácitas desta isenção, contudo em épocas de doenças pandêmicas de origem animal ainda não esclarecida, o povo está temerosso, e vale a máxima, gato escaldado tem medo de água fria. Infelizmente vai demorar um pouco reverter está queda de demanda dos pescados, com prejuízos imensamente danosos aos psicutores.. Uma Pena

  2. PORQUE VC ELIZEU NÃO TINHA ESSE EMPENHO QUANDO NARLON ERA PRESIDENTE? VOCÊ E MUITO HIPÓCRITA, TEM ALGO PESSOAL CONTRA ELE, TENTA MOSTRA SER ALGUÉM MAIS E OUTRA, NÃO SABE LIDAR COM O SUPERIOR A VC.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *