Contra o PL-490, índios Gamellas interditam a MA-014, entre as cidades de Viana e Matinha

Desde a madrugada desta quarta-feira, 30, a MA-014 está interditada pelos indígenas Akroá-Gamella, com apoio da Rede de Agroecologia do Maranhão, e protestam contra o PL-490, que trata sobre a demarcação de terras no Brasil e que está em discussão no Congresso Nacional.

Protestos iniciaram desde a madrugada

Segundo as informações, o protesto acontece no povoado Itaquaritiua, entre as cidades de Matinha e Viana, e interdita a principal via de acesso à Baixada Maranhense. Os indígenas usaram troncos de madeiras e atearam fogo, impedindo a passagem de veículos.

De acordo com pessoas que estão no local, apenas ambulâncias estão passando. A interdição de estradas acontece em todo o Brasil nesta quarta, e principalmente em Brasília, onde o congresso deve votar hoje o PL-490, que organizações e povos indígenas são contra.

O grupo reivindica a retirada do projeto do PL 490 da pauta na Câmara, porque acreditam que se o projeto for aprovado, vai significar para as políticas de proteção aos povos indígenas e também ao meio ambiente. O PL 490 foi apresentado em 2007, e foi desengavetado pela base governista na Câmara e teve o texto-base aprovado na Comissão de Constituição e Justiça.

5 respostas para “Contra o PL-490, índios Gamellas interditam a MA-014, entre as cidades de Viana e Matinha”

  1. Essas porras se apossaram das terras e nunca plantaram um pé de milho, apenas se aproveitaram dos peixes do açudes das áreas invadidas, nunca foram índios e ficam querendo receber benefícios do governo. Tem que mandar é tropa de choque, aí o trabalhador não pode passar, enquanto esses desocupados ficam interditando a estrada prejudicando o tráfego de veículos e principalmente dos caminhoneiros que estão sem saber como fazer suas entregas.

  2. Bando de arruaceiros. Tomam as terras que não lhes pertencem e ainda fazem protestos.
    Canalhas,falsários,maconheiros,milicianos,tiraram o sossego da região do Santeiro,não sairão impunes desse estelionato indígena

  3. Legal pra eles, pra mim q sou trabalhador e pago impostos onde está meu direito de ir e vir, vai pra Brasília aldeia aqui não resolve nada não.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *