Na Globo, jovem de 27 anos e natural de Olinda Nova do MA conta como é a vida dos nordestinos em São Paulo

Uma jovem de 27 anos natural da Baixada Maranhense foi destaque nesta quarta-feira, 23, em um jornal da Rede Globo na capital de São Paulo. Ela foi a grande entrevistada como exemplo de nordestinos que já são mais de 16% dos paulistas.

Brenda nasceu em Olinda mas tá trabalhando em São Paulo

A reportagem saiu na primeira edição do SPTV, da Rede Globo em São Paulo, e conta a história das pessoas que saíram de vários estados do Nordeste para tentar a vida na maior e mais importante cidade do Brasil.

Entre as entrevistadas, teve a participação de Brenda Christina Pacheco, de 27 anos, natural da cidade de Olinda Nova do Maranhão. Ela trabalha em uma loja de produtos naturais chamada ‘Tsunami-Empório’ e mora em São Paulo desde 2014, quando saiu da Baixada Maranhense em busca de emprego.

Em Olinda, ela morava no povoado Nova Galiza e conta que foi criada com os avós, Benedita Serra e Constantino Pacheco. Antes de se mudar para São Paulo, Brenda participou do Fórum da Juventude e de movimentos sociais, chegando a fazer o curso de Educação Física, onde se encontrou com o esporte, sua grande paixão.

Vejam a reportagem completa, com a participação de Brenda…

2 respostas para “Na Globo, jovem de 27 anos e natural de Olinda Nova do MA conta como é a vida dos nordestinos em São Paulo”

  1. Na verdade a retirada dos nordestinos para o sul do país em busca de emprego não é só uma necessidade.

    É uma vergonha!

    Pois no Maranhão 50 anos de políticas atrasadas, fizeram pessoas não acreditar no potencial que tem o estado do Maranhão, aqui temos muito por desbravar o turismo de experiência, regional, ambiental, ou na agricultura e até para a indústria.

    É preciso sim, sair para buscar conhecimento, essa seria a melhor forma de sair do Maranhão para depois retornar trazendo na bagagem, tecnologias para fazer cada região desenvolver.

    Permitindo continuar as tradições, pois é preciso que governantes façam sua parte, e não permita que os maranhenses desistam de suas cidades para tentar A vida em regiões distantes e não ter onde morar.

  2. Continua sendo vergonhoso a falta de bons projetos na Região de Terra Rica e povo pobre. Gente como a gente, obrigado a fugir da pobreza sem oportunidades Emprego e Renda.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *