Joanina de 15 anos, Luize Christine conta sua história como estudante do IEMA de São Vicente Ferrer

A jovem Luize Christine, estudante do IEMA de São Vicente Ferrer conta como tem sido sua rotina na unidade. Ela é natural e moradora da cidade de São João Batista e foi a escolhida da reitoria para escrever sobre sua história esta semana.

Adolescente de São João Batista

Ela é estudante da 2ª série do curso Técnico em Serviços Jurídicos na Unidade Plena São Vicente Ferrer. Mesmo que ainda não tenha tido a oportunidade de estudar presencialmente, é uma IEMANA com muito orgulho. Por causa da pandemia ela só pôde estar na  escola no momento do acolhimento.

Depois disso as aulas tiveram de ser remotas. Sua experiência demonstra a capacidade de adaptação e de construção de laços com professores e colegas em modo on-line. Vamos ler a História de Estudante de hoje que tem muito a nos inspirar.

Luize Christine

Sou Luize Christine, estudo no IEMA – UP São Vicente Ferrer e resido em São João Batista, onde nasci. Tenho 15 anos. Sou estudante da 2° série do curso Técnico em Serviços Jurídicos. Meus componentes curriculares favoritos são Matemática, Língua Inglesa, Geografia, Arte e Biologia. Moro com minha mãe Hélia Cristina, meu pai Antônio Luís e com a minha irmã mais nova, Maria Heloise. Amo minha família, ela é fundamental em minha vida, minha base, minha estrutura. Todos sempre me apoiam e me incentivam a estudar, lutar pelos meus sonhos e ideais.

Desde muito pequena, o estudo é minha “maior diversão”, gosto muito de estudar, adquirir novos conhecimentos, ser desafiada! Meus maiores e primeiros educadores foram meus pais, sempre me auxiliam e me mostram a importância dos estudos. Amo ir à escola!  Gostava também de ir às aulas de reforço particular para ampliar meus conhecimentos, aprender coisas novas e ou reforçar o conteúdo, tirar dúvidas.

Uma das principais preocupações da minha família era quando chegasse a hora de ingressar no Ensino Médio e tivesse que me deslocar para a capital, São Luís, pois queria que eu tivesse acesso à escola de qualidade. Como sou muito apegada à família, sofria só em pensar nessa possibilidade. Quando eu estava terminando o 9º ano, veio a notícia de que abriria uma Unidade Plena do IEMA em São Vicente Ferrer, meus pais ficaram imensamente felizes, menos eu. Não gostei da ideia de passar o dia inteiro na escola, 10 horas? Seriam demais! Eu não conhecia o modelo institucional e suas metodologias. Pensava que ficaria o dia inteiro escrevendo, com aulas e professores muito rígidos. Além do mais, devido à carga horária, pensei que eu não daria conta. Porém, aos poucos, comecei a me interessar pela Instituição, pedi aos meus genitores que fizessem minha inscrição e comecei a pesquisar tudo sobre o IEMA. Cada relato de protagonistas de outras UPs, reportagens, tudo foi me encantando. Fizemos a inscrição e graças a Deus, passei!

No primeiro dia de aula, estava me recuperando de uma virose, mas fui à UP só para ver o Acolhimento feito com muito carinho e competência da Gestão e Protagonistas da UP Tutora Cururupu, depois de uma hora, voltei para casa. Organizei minha mochila ansiosíssima para o próximo dia. Porém, meu pai assistiu aos noticiários do decreto do governador no início da pandemia do corona vírus (dia 16 de março de 2020) de que as aulas estavam suspensas por conta da pandemia e fiquei arrasada. Não tenho palavras para descrever o tamanho da minha decepção!

Mesmo não tendo nenhuma aula presencial até o momento, tenho o IEMA como meu segundo lar. A metodologia é uma das coisas que mais me encanta, pois o Instituto se preocupa em nos sentirmos acolhidos, faz com que essa seja a nossa segunda casa, com frases motivacionais, vídeos inspiradores, entre outras estratégias.

Depois que me tornei aluna do IEMA, aprendi muitas coisas, não só com relação aos conteúdos didáticos, mas com relação ao dia a dia, coisas que posso aplicar para ser uma pessoa melhor. Temos o Estudo Orientado e o Projeto de Vida, os quais integram a Matriz Curricular como Base Diversificada; nos ensinam a organizar melhor nossos estudos, metas, conteúdos e também nos orientam a construir nosso projeto de vida, organizar nossos sonhos, verificar as etapas que devemos cumprir para alcançá-los e como realizá-las da melhor forma possível.

Os Clubes de Protagonistas, como metodologia de êxito também nos trazem muitos benefícios, pois assim colocamos em prática as relações humanas, aprendemos a nos socializar melhor, desenvolvemos a liderança servidora, respeitamos sempre as opiniões diferentes das nossas, aprendemos ser acolhedores e inclusivos.

Os professores são essenciais no nosso processo de formação, tanto na questão dos conteúdos quanto da motivação. Estou sempre em contato com os docentes, e os mesmos estão sempre dispostos a nos ajudar no que for possível, sempre com orientações, conselhos que me motivam muito. Todos eles são muito importantes para mim, porém o que mais tenho afeto é o professor Ronildson Luz, mas o chamamos carinhosamente de professor Ronny, do componente curricular Biologia. Foi desde a primeira aula que assisti e criei uma amizade muito bonita. É um educador que está sempre preocupado com o desempenho dos alunos, ajudando no que for preciso. Ressalto que todos os professores exercem um papel fundamental na minha formação, tenho um grande carinho por todos. A gestão também é muito acolhedora, sempre converso com a gestora pedagógica e a gestora geral.

Faço o curso Técnico em Serviços Jurídicos, tenho um grande interesse por essa área, porém não é a carreira que pretendo seguir, pois desejo ser empreendedora e professora de matemática, entretanto, acredito que o direito irá me ajudar na área de administração.

É um imenso prazer fazer parte dessa família tão linda que é o IEMA, uma escola de excelência que possui grande diferencial, onde nós jovens temos voz, exercemos nosso protagonismo, damos sugestões de coisas que precisam ser corrigidas, melhorias que podem ser implantadas, o que nos incentiva muito, pois muitos não nos escutam por sermos adolescentes, o que é errado, já que em nosso processo de entrar para a vida adulta é necessário expressarmos nossa opinião, aprendermos a agir corretamente em certas ocasiões e aprender a cumprir com nossas responsabilidades e o IEMA nos orienta em tudo isso, nos passa obrigações e deveres que nos preparam para o futuro, para a vida e o mercado de trabalho. Ajuda-nos e ensina que devemos ser protagonistas da nossa história, fazer acontecer. Depois que entrei na instituição, aprendi a me expressar melhor, sempre fui muito tímida, hoje já não tenho mais tanta timidez como antes.

Hoje sou presidente de um Clube de Protagonistas: Os Idiomáticos. Ano passado fui escolhida pela gestão junto com outros estudantes para ser líder de turma, mas no segundo semestre, permaneceu apenas uma estudante na função. Apesar de não ser líder de turma, procuro sempre ajudar meus colegas com tudo que está ao meu alcance. No ano passado, devido ser algo totalmente novo, não tive facilidade em acompanhar as aulas online. Foi difícil! Já este ano, com a experiência do ano anterior, estou mais adaptada e com novos métodos de organização, por isso, sinto-me na obrigação de ajudar. Tenho um bom relacionamento com os demais colegas, tanto que estamos sempre em contato uns com os outros, ajudando-nos simultaneamente.

Enfim, o IEMA me ajuda todos os dias a construir o meu projeto de vida, a organizar melhor meus estudos, metas, tarefas e, mesmo remotamente, sinto-me acolhida pelos professores e pela gestão, que estão sempre buscando novas ferramentas e metodologias para que nos sintamos em casa e a aprendermos da melhor maneira possível. Prepara-nos para a vida adulta e como desenvolvermos nosso protagonismo perante o mundo, para que possamos contribuir e trazer melhorias à sociedade.

Um dos meus maiores sonhos é poder estudar presencialmente na UP, que devido à pandemia, ainda não tive a oportunidade. É uma experiência incrível ser uma IEMANA e procuro honrar esse título me dedicando e me esforçando sempre, buscando a conquista do meu projeto de vida, trilhando os melhores caminhos.

3 respostas para “Joanina de 15 anos, Luize Christine conta sua história como estudante do IEMA de São Vicente Ferrer”

  1. Parabéns Luize!
    Que Deus te ilumine nas tuas escolhas , gostei muito da narrativa da sua vida …sucessso sobrinha😇😇🙏👏👏👏🥰

  2. Emocionei-me mais uma vez com a demonstração de competência de Luize. Ela já me levou às lágrimas, quando me surpreendeu pela primeira vez, disputando e vencendo com muito brio, o “Soletrando” – uma das tarefas do CURTFÉRIAS, que organizei, colaborando com o saudoso evento. Luize era aluna do Ensino Fundamental e disputou com alunos do Ensino Médio, sagrando-se vencedora. Antes de afastar-me das atividades docentes para cuidar da saúde, tive o prazer de ser professor de Luize, nas aulas de “reforço” que ministrava na Escolinha da Tia Gil. O dia a dia do trabalho com a complexa, rebuscada e trabalhosa – Língua Portuguesa, fizeram-me mais admirador dessa jovem prodigiosa, responsável, disciplinada e muito talentosa, que enche seus pais e irmãzinha de orgulho, como também seus professores, sua escola, seus amigos e colegas. Parabéns, Luize e continue angariando a admiração dos privilegiados com sua convivência. Gostaria muito de continuar sendo seu professor. Um grande abraço!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *