SindProf volta a cobrar reajuste para professores de São João Batista e aponta falta de diálogo do governo Mecinho

O presidente do Sindicato dos Professores de São João Batista, Israel Melônio, emitiu uma nota nesta segunda-feira, 05, a respeito do reajuste para a categoria e sobre os descontos na folha salarial dos profissionais. Além disso, o SindProf lamentou a falta de diálogo da gestão do prefeito Mecinho.

Israel cobrou reajuste e aponto falta de diálogo da gestão Mecinho

De acordo com a nota, os descontos previdenciários dos professores estão sendo realizados de acordo com a tabela do INSS e o sindicato recomendou que cada professor veja seu contracheque e seu extrato bancário para identificar o ocorrido e que a partir do fato o Sindprof tomará as providências necessárias. A diretoria também disse que por três meses consecutivos a gestão de Mecinho se nega a conceder reajustes aos professores de acordo com a data base, não dar nenhuma decisão sobre a aplicação de no mínimo 70% dos recursos do Fundeb no pagamento dos profissionais de educação e não dá nenhuma justificativa.

Sobre esse assunto, Israel Melônio informou que a prefeitura ainda não disponibilizou a folha de pagamento dos professores no Portal da Transparência, que o Conselho Municipal do Fundeb ainda não reuniu pra apreciar as prestações de contas dos recursos e que a gestão atual não honrou com sua palavra de dar um posicionamento ao Sindprof como se comprometeu.

“Diante do exposto, e como o Sindprof se comprometeu em buscar o diálogo e a resolução dos problemas de forma pacífica, iremos conceder 10 dias para o Gestor Municipal se manifestar e nos responder o que ficou acertado e consignado em Ata de reunião, caso contrário, iremos acionar o Ministério Público Estadual o TCE, o MPF e realizaremos uma Assembleia Geral do Sindprof, para iniciarmos um processo de paralisação”, concluiu a nota, acrescentando que a categoria fica a disposição para dialogar sobre o assunto.

O blog entrou em contato com o prefeito e com o secretário de educação, Saulo Corrêa. O secretário não retornou aos contatos até o fechamento desta matéria, mas Mecinho informou que vai mandar a resposta ao presidente do sindicato e acrescentou que existe uma normativa do Governo Federal proibindo o reajuste salarial aos profissionais.

25 respostas para “SindProf volta a cobrar reajuste para professores de São João Batista e aponta falta de diálogo do governo Mecinho”

    1. Laura, os professores de São João Batista, nunca se negaram a trabalhar, agora se aconteceu a pandemia da Covid 19, não é culpa nossa, sei que não é seu caso, mas os professores estão pedindo a Deus para que tudo isso acabe, e tudo volte o normal. Só lamentamos pela morte de tantos brasileiros em consequência dessa doença.

    1. Laura, os professores de São João Batista, nunca se negaram a trabalhar, agora se aconteceu a pandemia da Covid 19, não é culpa nossa, sei que não é seu caso, mas os professores estão pedindo a Deus para que tudo isso acabe, e tudo volte o normal. Só lamentamos pela morte de tantos brasileiros em consequência dessa doença.

    2. Jonas, nada nesta vida na terra é infinito, mas enquanto eu estiver no Sindprof e eleito de forma democrática como fui pelos companheiros, não será você que vai me impedir de apresentá-los e exigir os direitos dos professores de acordo com a Lei, sabendo que todos cumprem com os seus deveres, inclusive quem era oposição ontem e hoje é governo, não sei se é específicamente o seu caso. Continue lutando e defendendo seu contrato na prefeitura, mas respeite os professores.

    1. Maria, eu não quero nada talvez do que você imagina se fosse você em meu lugar gostaria de ter.
      A única coisa que eu quero é que os professores sejam respeitados e apenas repassados à eles o que é de direito. Nada do que não seja legal e moral e que esteja de acordo com o que determina a lei.

    1. Júlio César, com certeza você nunca morou em São João Batista, e não conhece a luta do Sindprof.
      Como talvez você veio de longe pra trabalhar na prefeitura contratado eu entendo seu posicionamento de defender o seu contrato. Mas, pra vc não cometer injustiça com você próprio, procure conhecer a história do Sindprof.

  1. Mais todos sabem que por causa da pandemia não se pode dar aumento salarial para ninguém, esse cara quer se aparecer mesmo

    1. Manoel, pra vc deixar de passar vergonha e falar o que não sabe. E se você souber lê, dê uma lida na Lei Federal que instituiu o Novo Fundeb o número é 14.113/2020. Onde está claro que a partir de 2021, os professores passarão a receber não mais 60% do fundeb. E sim *70%* ou seja, um aumento de 10%, tendo em vista que no ano de 2020 o nosso salário com os 60% continua o mesmo hj porque ainda não foi repassado os 70% do fundeb.
      E…se você não souber lê, no município nós temos o programa da EJA, será um grande prazer nosso enquanto Sindprof e professores tê-lo como aluno, tenho absoluta certeza que você só terá a ganhar e sua leitura de mundo será outra totalmente diferente.
      Não esqueça! Matricule-se! Ainda tem vagas.

  2. Esse e o prefeito que o povo queria, prometeu aos professores reajustes, valorização da categoria e outras coisas que não vou citar, e agora tem a desculpa que o governo federal proibida o aumento, por que ele aumentou o salário dele de 12 mil pra 17 mil ? Os vereadores tmb foram aumentado e estão tudo calado agora.

  3. ISRAEL SEMPRE TERÁ NOSSO APOIO E NOSSO CARINHO
    SEMPRE AGIU EM DEFESA DOS INTERESSES DA CATEGORIA
    INDEPENDENTE DE GESTÃO

  4. Esse e o nosso presidente,arrocha que a Mamusca não quer liberar o fantoche do prefeito pra diálogo,pq ele mesmo nem isso sabe.Ela quer ficar com o dinheiro dos professores pra tá ostentando com filhotes,mas vão quebrar a cara.Arrochaaaaaa

  5. Tavendo? pega na cara os professores que comiam com João do Campo e se passaram em cima do laço e que fizeram até doação para a campanha de Mesquinho, na promessa de serem valorizados. Quem for de isopor que esfarele, assim gostam de falar os mamusqueiros kkkkkkk

  6. Professores querendo aumento sem trabalhar e profissionais da saúde trabalhando o dobro sem aumento de salário, sem férias, sem nada. Ainda tem que ensinar o dever dos filhos em casa.

  7. Cunversa Moço.
    Esse Israel tá querendo se aparecer.
    Só pede e nada dá.
    Arrocha pra cima dele Meção.
    Só meus direitos é nada dos meus deveres.
    Muito óleo de Peroba.
    A cara nem treme.
    Quê quer isso, Siô.

  8. O prefeito fala que não pode dá aumento por causa da pandemia,mas pode descontar,descontos absurdos na pandemia,Isso pode Arnaldo????

  9. Pra todo canto é isso professores querendo almento só sabem pedir pedir todo ano. Quem tem q ganhar bem é os agentes de saúde ., professor já tem um salários alto pro nível.
    Todo ano é isso me compre um bode.!

  10. Só se for “almento” mesmo, eita povo burro, falar da educação e fácil quando você não passa por ela, os professores são de nível superior, tem que ganhar mais mesmo, está na constituição e nas leis regimentais municipais, um cargo é remunerado de acordo com o nível da educação. Quem não gosta de estudar sempre vai chorar e dizer que é esquecido e desvalorizado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *