Sema expande programa de conservação e recuperação ambiental para Penalva, Palmeirândia, Pinheiro e Santa Helena

O Programa Maranhão Verde, criado em 2017, já beneficiou mais de 452 famílias maranhenses e, em 2021, tem previsão de investimento de R$ 2,5 milhões com sua expansão para a Baixada Maranhense com mais 400 famílias atendidas. O Programa tem objetivo de fomentar e desenvolver projetos voltados para apoiar a conservação e recuperação ambiental, além de promover a capacitação ambiental, social, educacional, técnica e profissional da população.

Baixada Maranhense

Com a expansão, quatro municípios da Baixada Maranhense (Pinheiro, Penalva, Palmeirândia e Santa Helena) serão atendidos pelo Programa. Ao todo, mais de 60 mil mudas serão plantadas, beneficiando assim o meio ambiente, combatendo o aquecimento global, reduzindo a erosão e a degradação do solo e purificando o ar. Além disso, mais 400 famílias terão a oportunidade de desenvolver atividades de conservação e recuperação dos recursos naturais e vão receber a Bolsa Maranhão Verde no valor de R$ 300,00 bimestrais. No âmbito do Programa, São Luís conta com 263 beneficiários em ações de preservação ambiental no Parque Estadual do Bacanga.

Para o secretário de Estado de Meio Ambiente e Recursos Naturais, Diego Rolim, “a efetivação das políticas públicas ambientais perpassa pela produção e plantio de mudas objetivando a recuperação de áreas degradas, pelo enfrentamento das queimadas por meio da brigada contra o incêndio e pela preservação da flora e corpos hídricos por meio da conscientização e educação ambiental de modo amplo”, ressaltou.

Em relação à educação ambiental, a SEMA vai ampliar a oferta de cursos de forma presencial e remota para toda a sociedade e contará com um ônibus itinerante. Além disso, o órgão prevê a construção de parques nos municípios de Morros e Anapurus, assim como expansão do Parque do Rangedor com novas estruturas.

Mais sobre o Programa

O primeiro projeto do Maranhão Verde foi executado no Parque Estadual do Mirador, por meio do Projeto Berço do Rio Itapecuru, com a participação de 189 famílias do parque. Atualmente, o programa é realizado no Parque Estadual do Bacanga, com o projeto Florestas Protetora de Mananciais, destinado à conservação e recuperação das matas ciliares e áreas de recarga do parque, com foco nas regiões do reservatório do Batatã e do Rio Prata.

2 respostas para “Sema expande programa de conservação e recuperação ambiental para Penalva, Palmeirândia, Pinheiro e Santa Helena”

  1. Arrocha ministério público ainda tem o nepotismo,pq esse gonverno foi um projeto familiar que até a a logomarca é a letra do nome da Múmusca e do Mecinho,pode isso? É muita cara de pau se ligam o município e do povo não de vc e sua família Mecinho,te prepara que agora que a CABRA VAI BERRAR.

  2. Arrocha ministério Público!Ainda tem o nepotismo, o projeto desse gonverno e familiar até a logomarca colocaram as inicias do nome da Múmusca e do Mecinho é muita cara de pau,procurem respeitar o povo o município e nosso não propriedade de você e sua família,Mecinho.Fica alerta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *