Força das chuvas: Viana perde mais um casarão histórico

O acervo arquitetônico do município de Viana está ameaçado por conta das fortes chuvas que estão caindo no estado. Na última segunda-feira (22), um imóvel onde funcionou um dos primeiros hotéis do município, comandado por “Dona Filhinha” – como os vianenses a conheciam, não resistiu a força da água e desabou.

Localizada, na Região da Baixada Maranhense, é a quarta mais antiga do Maranhão. Viana teve sua origem na aldeia Guajajara de Maracu, que começou a ser povoada pelos missionários da Companhia de Jesus em 1709. O município possui vários imóveis seculares que estão ameaçados pela ação do tempo.

Segundo informações postadas pelo publicitário, Luiz Antonio de Morais, em sua página no Facebook, o casarão foi abandonado no início dos anos de 1980 e, por conta de intransigências familiares, permaneceu em ruínas, até o seu desabamento.

Luiz Antonio, ressaltou ainda, que o casarão agora “faz parte da dilapidação do patrimônio histórico vianense, tal qual o seu vizinho do lado direito: o famoso sobrado de Ozimo de Carvalho, cujo terreno foi doado pela prefeitura à Academia Vianense de Letras (AVL), que por sua vez luta para obter recursos para reerguer o prédio e transformá-lo em sua futura sede”, escreveu o publicitário.

O Imparcial apurou que a última vez que o Departamento de Patrimônio Histórico esteve em Viana, realizou uma visita em outubro de 2013, a dois prédios de arquiteturas coloniais, localizados na área de tombamento da cidade. A visita na época contou com a presença da então Superintendente de Patrimônio, Andréa Vasconcelos e do engenheiro Zacarias Castro Júnior. A Academia Vianense de Letras foi o primeiro prédio a receber a visita dos técnicos da Secma que analisaram e avaliara os reparos que deve sofrer em sua infraestrutura.

Situada na Rua Antônio Lopes, nº 535, a casa de arquitetura originalmente colonial pertenceu a Amâncio de Aquino, autor da letra do Hino Vianense. Amâncio era radiotelegrafista e por isso sua residência funcionou como Correio e Telégrafo de Viana por muito tempo. O casarão foi adquirido no ano de 1951, pelo comerciante e vereador Ananias Gomes de Castro, que por diversas vezes foi palco para festas e bailes municipais de carnaval. Atualmente o imóvel abriga a Casa de Cultura de Viana.

Vejam a reportagem completa do Jornal O Imparcial AQUI.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *