Professores de São João Batista param por três dias, movimento é contra reforma da previdência

Os professores da Rede Municipal de Ensino paralisaram nesta quarta-feira (15). O objetivo é manifestar contra a reforma da Previdência que tramita no Congresso Nacional e reivindicar reajuste salarial imediato para toda a categoria. A mobilização foi anunciada pelo Sindicato dos Professores de São João Batista (SindProf) e deve terminar só na próxima sexta-feira.

A concentração dos manifestantes ocorreu hoje (15) pela manhã na sede do sindicato e agora pela tarde, os professores já estão na Câmara de Vereadores, onde conversaram com o presidente da casa, vereador Assis Araújo, e seguem acompanhando o projeto de Processo Seletivo, que está em pauta em segundo turno.

A reforma da Previdência proposta pelo governo prevê, entre outras coisas, a idade mínima de 65 anos para a aposentadoria e devem atingir em cheio a classe dos professores, que segundo o presidente do sindicato, Israel Melônio, se trata de um retrocesso na educação brasileira.

O ato foi proposto pela Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE) e teve adesão da categoria no Maranhão. Além da pauta nacional, o SindProf delimitou outras questões como tema para a mobilização. Vídeo: Joel Lima.

Folha de SJB

7 respostas para “Professores de São João Batista param por três dias, movimento é contra reforma da previdência”

  1. São João Batista é assim paraliza pra não dar aula esses pais são fracos nós devemos nos mobilizar pra ir cobrar do sindicato a presença dos professores na escola dos filhos da gente.

  2. Jairo e valdimara, vocês sabe o que estão falando? está bom de sairem de novelas e ficarem mais ligado no que está vindo pra mim, ha vocês e seus filhos e netos. agora vem com essa… Assista a tv câmara agora pra vc entender, deixe de usar paginas pra falarem bobagens

    1. Caros Jairo e Valdimara. O sindicato está à disposição de vocês, para as cobranças e as sugestões. Se as aulas começaram somente no dia 06/03/17, a culpa não é dos professores, muito menos do sindicato. Os professores efetivos estão à disposição da secretaria de educação e disponíveis para assumir e lecionar nas salas de aulas. Se vocês tiverem informação de algum professor que não quer dar aula, pode denunciar para o sindicato e para MP. Agora a Paralisação Nacional é justa e preocupante. Inclusive se vocês contribuem para o INNS, deveriam também se preocupar, com esta reforma previdenciária. Abc Israel Melonio

  3. Belas palavras Israel! Agora, eu, professor Marcos e que também sou pai, gostaria de convidar a Valdimara e Jairo que são pais também para irmos no dia 21 deste mês conversarmos com o promotor sobre alguns problemas da nossa educação que vêm se acumulando ao longo de vários anos e que a maioria dos pais estão apenas preocupado é com a aprovação de seus filhos no final do ano e não com a aprendizagem, inclusive flagrei um pai, na escola Marly Sarney, pedindo para liberar o filho mais porque não está tendo merenda, ao invés de reclamar por que não está tendo merenda e outros direitos das crianças e dos adolescentes! Estou também a disposição para nos organizarmos e juntos com Conselho Tutelar, buscarmos soluções para os problemas educacionais da nossa cidade e fazermos com que os direitos dos nossos filhos sejam respeitados! Eu, todas as vezes que nos organizamos para fazermos paralisações, exponho a ideia de convocarmos os pais para fazerem parte do movimento e entenderem que os problemas é de todos nós, pais, professores e toda a sociedade!

  4. Corrigindo!

    Belas palavras Israel! Agora, eu, professor Marcos e que também sou pai, gostaria de convidar a Valdimara e o Jairo que são pais também para irmos no dia 21 deste mês (ou outro dia), conversarmos com o promotor sobre alguns problemas da nossa educação que vêm se acumulando ao longo de vários anos e que a maioria dos pais não se mostra preocupada com esses problemas, a maioria está apenas preocupado é com a aprovação de seus filhos no final do ano e não com a aprendizagem, inclusive flagrei um pai, na escola Marly Sarney, pedindo para liberar o filho mais antes do horário da saída, porque não está tendo merenda, ao invés de reclamar por que não está tendo merenda e outros direitos das crianças e dos adolescentes! Estou também a disposição para nos organizarmos e juntos com Conselho Tutelar, buscarmos soluções para os problemas educacionais da nossa cidade e fazermos com que os direitos dos nossos filhos sejam respeitados! Eu, todas as vezes que nos organizamos para fazermos paralisações, exponho a ideia de convocarmos os pais para fazerem parte do movimento e entenderem que os problemas são de todos nós, pais, professores e toda a sociedade, para justamente, não aparecer pessoas desinformados e dizerem que nós não queremos, generalizando, pois nós, professores que honramos com nossas obrigações não podemos responder pelos que não honram!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *