Na escola do século XXI, por Fábio Teixeira

Resultado de imagem para fábio teixeira, de são vicente ferrer
Professor Fábio Teixeira

Na escola do século XXI o conhecimento é dinâmico, inquieto, ousado e valente, por isso, ela [a escola] oferece para comunidade escolar, quadra poliesportiva, salas de aulas climatizadas e com todos os recursos tecnológicos indispensáveis no processo ensino-aprendizagem, laboratórios de informática e de ciências, auditório, pátio-refeitório com recursos sócios educativos, sala de professores com todos os recursos pedagógicos essenciais para sua prática docente, sala de direção, sala de secretaria, todas informatizadas.

Na escola do século XXI o relacionamento se dá com as pessoas e não com a pessoa, levando em conta o respeito à diversidade e à pluralidade como princípio norteador da boa convivência e da aprendizagem. Na escola do século XXI a missão da educação não é a transmissão de conhecimento, de adestramento ou formação de clones. Mas, em sentido latu, a sua missão é o desenvolvimento humano, que consiste na realização pessoal, na qualidade de vida, na participação política e na inclusão planetária.

Na escola do século XXI a prática social, o mundo do trabalho, os movimentos sociais e as manifestações culturais são os pilares principais do seu processo educativo. Na escola do século XXI não há mais a ideia de que ela é o espaço por excelência do conhecimento e, sim, apenas mais um espaço em meio a tantos outros de conhecimento. Na escola do século XXI a gestão democrática existe de fato e de direito por entender que a escola é um território educativo aberto às discussões, e que a educação é um processo dialético que se dá por toda vida escolar.

Na escola do século XXI o conhecimento se hospeda no currículo. Mas ele não existe para prender e controlar o aluno, senão para desprender a mente do aluno e lhe oferecer vias múltiplas de aprendizagem. Na escola do século XXI a sala de aula não existe para controlar, mas para construir conhecimento. Na escola do século XXI todo educador é um pesquisador por excelência. E é por meio da pesquisa que ele oxigena pedagogicamente a sua prática docente.

Na escola do século XXI a função do educador no processo de ensino é de motivador da aprendizagem, na tentativa conjunta com os alunos da busca dos conhecimentos. Sendo que a participação do educando se fará de forma livre e dinâmica, contribuindo na integração educando/educador, educando/educando. Na escola do século XXI se compreende que os componentes curriculares são instrumentos de reflexão e intervenção no cotidiano dos educandos.

Na escola do século XXI os conteúdos programáticos são problematizados à luz da contemporaneidade dos educando. Na escola do século XXI os temas transversais são partes integrantes do seu plano de ação por compreendê-los como direcionamentos curriculares de abordagens de questões contemporâneas. Na escola do século XXI ainda se acredita que a educação é o instrumento mais eficaz na construção de uma sociedade diferente e mais justa, com uma nova ética e moral.

FÁBIO TEIXEIRA, Professor de Historia e Filosofia da rede estadual de ensino / Escola Professora Ana Mota em São Vicente Férrer.

5 respostas para “Na escola do século XXI, por Fábio Teixeira”

  1. Demagogo , perseguidor de professores .Tu esqueceu como tu perseguiu os professores quando foi secretário? Triste dos profissionais da educação .

  2. Melhor professor de Historia que eu já tive …agradeço de todo o meu coração pelo o ensino ..
    Sou Ex aluna da escola C.E Professora Ana Mota ..
    E como aluna que fui do Professor Fabio ,tenho a dizer que ele não é ignorante,se algumas pessoas acham que uma bronca é ser ignorante ,me diz como seria dos alunos sem um incentivo do professor ?As broncas é um empurrãozinho que o professor dá, para que os alunos fiquem mais atentos ..

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *