Matinha: enquanto fazendeiros vão ao MP, organizações defendem povo Gamela

Um grande impasse se formou em Matinha após ocupações do povo Gamela. Isso despertou a ira de fazendeiros que foram ao Ministério Público do Estado pedi apoio para uma suposta ofensiva contra o povo Gamela, que recentemente vem ocupando terras de fazendeiros naquela cidade. No entanto, diversas organizações divulgaram nota em apoio aos índios. Segundo matérias de blogs em São Luis, até o momento já são quatro propriedades invadidas no limite entre as cidades de Matinha e Viana, sendo que os indígenas ameaçam atacar mais terras.

Povo Gamela durante retomada de terras

O que os fazendeiros dizem é que não há respaldo nenhum para tais atos a não ser a tomada a força de terras produtivas e são fonte de trabalho e renda para os moradores locais. Por isso, os atos já foram motivo de denúncia junto ao Ministério Público local com vistas a evitar um possível confronto com os fazendeiros. ‘A população conclama a classe político maranhense a fazer frente a esses atos absurdos e que ferem de tal maneira a história dessas pessoas, que na sua maioria estão estabelecidas a mais de 40 anos naquele local’, diz uma nota dos fazendeiros.

Enquanto isso, organizações da sociedade civil manifestaram apoio ao povo Gamela por meio de nota. “Nós, entidades, associações, movimentos sociais e comunidades, declaramos apoio e solidariedade ao povo indígena Gamela, que realizou no dia 15/08/2016, a retomada de mais uma parte do seu território tradicional, que se encontrava invadida por fazendeiros e empresários no município de Viana/MA, totalizando 8 retomadas feitas até o momento. A área retomada trata-se de uma fazenda às margens do rio Piraí, local sagrado para o povo Gamela, pois é morada de João Piraí, encantado protetor do rio e do povo. O local estava sendo destruído por fazendeiros que devastaram suas margens, assorearam seu leito, retiraram dele milhares de toneladas de barro para cerâmica – tijolo e telhas e desviaram o leito do rio para dentro dos açudes, afetando na reprodução e provocando a extinção dos peixes fonte de alimentação do povo.

Fazendeiros e moradores foram ao MP denunciar

Somos testemunhas que desde 2013 esse povo vem num processo de insurgência, lutando pela afirmação de sua identidade e do seu território. Essa luta, legítima, não vem sendo respeitada pelo governo federal, por meio da FUNAI, que tem obrigação legal de fazer a regularização fundiária dos territórios indígenas, uma obrigação prevista na Constituição Federal. Dessa forma, os indígenas empreendem ações próprias, colocando em risco até mesmo suas vidas. Pois no inicio do ano os indígenas denunciaram que o mesmo invasor dessa área que foi retomada, havia colocado homens armados (pistoleiros) para intimidá-los, os mesmos denunciaram tal fato bloqueando a MA-014 ,estrada que corta o território indígena.

Portanto, reconhecemos que a luta do povo Gamela é legítima, e repudiamos quaisquer ações que poderão ser praticadas por fazendeiros tais como: Ameaças de morte a lideranças do povo; Contratação de milícias; Disparo com arma de fogo contra o acampamento; Intimidação de indígenas nas comunidades para entregar informações;
Aliciamento de jovens com promessa de emprego nas cidades (Viana, Matinha e São Luís); Destruição dos recursos naturais, espaços sagrados e simbólicos de culto, cura, ervas medicinais e de alimentação, fundamentais à sobrevivência física e cultural do povo. Diante dessa situação, exigimos que a FUNAI crie imediatamente o Grupo de Trabalho para estudo da terra indígena Gamela; que o Governo do Estado garanta a segurança do povo nesse momento de tensão e conflito”, diz a nota que é assinada por organizações da Sociedade Civil do Maranhão. Clique AQUI e veja a íntegra da nota.

Folha de SJB

2 respostas para “Matinha: enquanto fazendeiros vão ao MP, organizações defendem povo Gamela”

  1. Isso é uma fraude descarada,desde quando as margens da ma 014 tem aldeiamento indígena?Massa de manobra,marginais aproveitadores!

  2. fazendas produtivas com criações de peixe esse povo quer a terra e pra plantar maconha os fazendeiros sim trazem progresso para o maranhão é para o país

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *