Lelé Arouche homenageia pais vicentinos

Lelé e seu pai, Raimundo Arouche

Neste dia dedicado aos pais, quero externar todo o meu apreço e meu respeito por cada pai da minha São Vicente Ferrer.

Pais que se colocam na condição de espelho para seus filhos e que pautam suas vidas para fazê-los cidadãos de bem.

Quero parabenizar também a tantas mulheres que mesmo sendo mãe por inúmeros motivos se fazem pai.

Àqueles que hoje estão rodeados por seus filhos e também aqueles que convivem com a dor da saudade…

Feliz Dia dos Pais. É o que deseja o amigo Lelé Arouche a todos os pais de São Vicente Ferrer.

7 respostas para “Lelé Arouche homenageia pais vicentinos”

  1. linda sim a mensagem, só não consigo entender porque as famílias vicentinas só foram lembradas e homenageadas neste período eleitoral,quando o mesmo pleiteia a eleição? porque durante os três anos como vice prefeito ,não vi nenhuma homenagens por parte desse candidato . olha a heresia.

  2. linda sim a mensagem, só não consigo entender porque as famílias vicentinas só foram lembradas e homenageadas neste período eleitoral, quando o mesmo pleiteia a eleição! porque durante os três anos como vice prefeito ,não vi nenhuma homenagens por parte desse candidato . olha á heresia.
    Por isso que eu falo que; candidatos são muitos, no entanto, politico só aquele que tem seu dom natural, não precisa querer ser, portanto,é.
    Neste período eles oferecem o céu e o mar, olha: o mel da abelha é bom,mas, a picada dela é ardente. Essas coisinhas ensaiadas não estimula os esclarecidos.
    termo de politica antiga , não favorece o modernismo.

  3. Fabinho, vc sabe pelo menos o que significa a palavra enrustido ou renegado?
    pelo perfil parece cm vc! no qual vc alem de se esconder ,tenta desfaçar á obvia coerência cinicamente . Destarte, tudo o que eu falo são a base de provas e com real convicção. Acredito que vc não seja um vicentino, obscurecendo assim á realidade.
    E sim, vc notoriamente comprovou sua contradição da real situação epigrafada acima.
    Meu nobre, ao falar o meu nome, pois, é reconhecido em qualquer lugar , e vc com esse nome não tem nem identificação populacional.

  4. Desculpa-me, senhor Fabinho! sinto muito pelo seu sofrimento emocional,sentimental e psiquiatria. Um chazinho de maracujar faz bem p memoria,uma leitura de politica publica e partidária também ajuda a aprender fazer defesa politiqueiras cm enfases, porque desse jeito vc merece um apelo de recuperação pela sua fraqueza.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *