JÚRI TERMINA COM CONDENAÇÃO DE TRÊS ACUSADOS EM SÃO JOÃO BATISTA

A ultima sessão do Tribunal do Júri Popular de São João Batista terminou em condenação. Realizada na ultima quinta-feira, dia 28 de maio, a sessão deu fim a um período de três juris consecutivos realizados pela juíza Jaqueline Rodrigues da Cunha e tendo como acusação dos réus, a promotora Maria do Nascimento Carvalho. Todas as sessões foram realizadas na Colônia de Pescadores deste município e teve um público com bastante gente.

Nesta ultima sessão foram denunciados pelo Ministério Público os acusados Artur Mendes Pinto, vulgo ‘Jhon’; Carlos França Almeida, vulgo ‘França’ e Joelson Braga, conhecido como ‘Macaco’. De acordo com a sentença, no dia 13 para 14 de junho de 2014, no período noturnos, os acusados subtraíram para si o valor de 400 reais da vítima, Francinaldo de Jesus Vale Santos, filho de Zequinha Tabaréu. Na empreitada, os acusados teriam dado pauladas e facadas na vítima, causando-lhes a morte, e o levaram para o povoado Cazumba, onde ocultaram o cadáver no fundo de um lago.

Após todos os trâmites iniciais do juri e ouvirem diversas testemunhas, o que levou o julgamento para a noite, e os debates acalorados entre a acusação, feita pela promotora Maria do Nascimento, e pela defesa, patrocinada pelos advogados Cícero Carlos de Medeiros e Washington Lemos Souza, tendo como auxiliar o advogado Fábio Pinto, a juíza se reuniu com o Conselho de Sentença e começou a ler, logo após isso, a decisão de cada um dos acusado. Segundo a sentença, todos os acusados foram considerados culpados, após reconheceram a materialidade do delito e da autoria.

Todos os três, Artur Mendes Pinto, vulgo ‘Jhon’; Carlos França Almeida, vulgo ‘França’ e Joelson Braga, conhecido como ‘Macaco’, foram condenados a cumprir a pena de 15 anos e seis meses de reclusão em regime fechado, a ser cumprido na Penitenciária de Pedrinhas, e ao pagamento de 141 dias-multas.

Folha de SJB

Uma resposta para “JÚRI TERMINA COM CONDENAÇÃO DE TRÊS ACUSADOS EM SÃO JOÃO BATISTA”

  1. Parabéns ao grande trabalho realizado pela polícia, ministério público e justiça que culminou na condenação desses indivíduos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *