FUNDAÇÃO PALMARES DISCUTE INCLUSÃO DO ENSINO AFRO-BRASILEIRO EM SÃO JOÃO BATISTA

A representante regional da Fundação Cultural Palmares no Maranhão, Ana Amélia Campos Mafra, discutiu durante três dias questões relacionadas às comunidades quilombolas e ao ensino da história e cultura afro-brasileira em São João Batista. O evento foi organizado pela coordenadora de Igualdade Racial da Prefeitura Municipal, Ana Márcia Araújo, na Colônia de Pescadores.

O encontro aconteceu entre os dias 14, 15 e 16 deste mês e reuniu presidentes de movimentos sociais, de associações e comunidades quilombolas, bem como professores, diretores, alunos e o secretário de educação, Aguiar Santos. O primeiro dia foi um bate-papo com as comunidades quilombolas da nossa cidade e no segundo dia, a discussão foi em torno da Lei 10.639, em forma de oficinas voltadas exclusivamente para professores e diretores de escolas.

De acordo com Ana Mélia Mafra, a Lei 10.639, de 2003, decretou a inclusão do ensino da História e da cultura afro-brasileiras no Ensino Fundamental e Médio e esta lei passou a valer para todos os níveis da Educação Básica com a instituição das Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação das Relações Étnico-Raciais. “Além de conhecer a influência africana na formação cultural brasileira, eles receberam informações sobre a questão racial na Educação Infantil, principalmente no que diz respeito à identidade racial”, disse a representante da fundação.

Folha de SJB

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *