HOMENAGEM À ANACLETO ARAÚJO, POR DANIEL MATOS

Por Daniel Matos

Anacleto entrevista prefeita de São Vicente / Foto: Jailson Mendes

Um dos profissionais mais atuantes e carismáticos da imprensa do Maranhão nos deixou precocemente hoje. O radialista Anacleto Araújo, 55 anos, não resistiu aos sérios problemas cardiovasculares que fragilizaram sua saúde ultimamente. Anacleto tinha uma legião de amigos e admiradores e deixa uma lacuna não só no jornalismo, mas na vida de todos que o conheceram e compartilharam bons momentos em sua companhia, entre os quais este que vos escreve.

Minha amizade com Anacleto teve início em fevereiro de 2004, assim que mudei para uma quitinete em um pequeno condomínio próximo ao Cohatrac, onde ele também morava. Como bom ouvinte de rádio, obviamente, eu já o conhecia de nome. E tão grata foi minha surpresa quando ele foi até minha casa me dar as boas vindas à vizinhança.

Desde então, construímos uma amizade sólida e sincera, apesar da distância que a rotina nos impunha. Mesmo doente, Anacleto jamais perdeu a alegria de viver e a disposição para o trabalho. Ele sempre tinha planos, que incluíam desde coberturas jornalísticas a viagens à sua querida terra natal, São João Batista.

Solidário e participativo, sempre se preocupava com a saúde dos colegas, embora descuidasse muito da sua. Era pavio curto, mas tinha um bom coração, o mesmo que não foi tão generoso com ele próprio. Dias antes de ser internado, Anacleto me ligou e conversamos longamente, em tom de descontração, como sempre.

Havíamos até marcado de nos reencontrar, mas não deu tempo. A doença foi mais rápida e o tirou do nosso convívio.Com extremo pesar, só me resta responder afirmativamente à sua clássica pergunta: “dói sim, Anacleto!”. Que Deus o tenha!

Anacleto durante transmissão de jogos em São Luis

Folha de SJB

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *