MORRE DONA CONCITA, MULHER DO SAUDOSO CHIQUITINHO FIGUEIREDO

Morreu ontem Conceição de Maria Costa Figueiredo, mulher do saudoso Chiquitinho Figueiredo. Aos 90 anos, Dona Concita, como era conhecida popularmente, morreu por volta das 10 horas da noite no Hospital São Domingos, em São Luis.
Dona Concita ao lado de Chiquitinho Figueiredo
Concita é mãe de vários filhos e entre eles o ex-prefeito e diretor presidente da Rádio Beira Campo, Luiz Figueiredo. Em conversa com o Blog Folha de SJB, Luiz disse que o corpo da viúva de Francisco Ferreira Figueiredo está sendo velado no Pax União, na Rua Grande, entrada do Bairro Diamantes. Já o enterro será no Vinhais, às 11 horas.
Dona Concita já vinha apresentando estado de saúde grave e esta semana a situação piorou. Internado inicialmente no Hospital do Coração, a família, liderada pelo ex-prefeito Luiz Figueiredo, decidiu a transferir para o Hospital São Domingos, onde permaneceu até ontem.
Ao longo do dia de hoje o Blog Folha de SJB vai publicar várias matérias referentes a vida de Dona Concita. Acompanhem…
Folha de SJB

2 respostas para “MORRE DONA CONCITA, MULHER DO SAUDOSO CHIQUITINHO FIGUEIREDO”

  1. Nossos pais descobrem que um ser está para nascer trazendo um brilho de luz. A cada sorriso, palavra, olhar ou suspiro, uma cachoeira de lágrimas parece inundar seus olhos de alegria e paz. Nos tornamos adolescentes e a busca pela independência é cada vez mais clara. A nossa vontade de conquistar espaço nos distância de quem sempre nos amará, esquecemos a família. Esquecemos de dizer o quanto os amamos. Mas, um dia nossos entes queridos se vão. Quando menos esperamos e sem nenhum aviso, Deus tira de nós o que mais amamos. Em nosso peito apenas a dor de um punhal que a cada “meus pêsames” parece pesar. Nossos pensamentos levam para cada gota de sangue em nosso corpo a culpa de nunca ter dito: “te amo”; “preciso de você”, “estou sempre aqui”, “me preocupo”, e como se não bastasse vem à frase mais forte “a culpa foi minha”. Nossos sonhos caem por terra, nossa independência parece perder a importância. E a resposta para essa dor? O tempo é uma certeza: Quando amamos transmitimos o amor em pequenos atos e gestos, e as palavras não importam mais; quando precisamos de alguém, sentimos sua presença, e as palavras não têm mais sentido; quando nos sentimos sós e abandonados, surge uma palavra ou um gesto e descobrimos que nunca estaremos sós. E a culpa? A culpa é da vida que tem início, meio e fim. A nossa culpa está apenas em amar tanto e sentir tanto por perder alguém. O tempo é remédio e nele conquistamos o consolo, com ele pensamos nos bons momentos. E com um pouco mais de tempo, transformamos nossos entes queridos em eternos companheiros. Nossos sonhos ganham aliados, nossa independência ganha acompanhantes, nossa vida conquista anjos. E no fim resta apenas a saudade. Não importa onde estejam, quem amamos sempre estará conosco!
    Meus pêsames a familia enlutada.
    Alice Santos!!!

  2. A vida precisa ser renovada. A morte é a mudança que estabelece a renovação. Quando alguém parte, muitas coisas se modificam na estrutura dos que ficam e, sendo uma lei natural, ela é sempre um bem, muito embora as pessoas não queiram aceitar isso. Nada é mais inútil e machuca mais do que a revolta. Lembre-se de que nós não temos nenhum poder sobre a vida ou a morte. Ela é irremediável. O inconformismo, a lamentação, a evocação reiterada de quem se foi, a tristeza e a dor podem alcançar a alma de quem partiu e dificultar-lhe a adaptação na nova vida. Ele também sente a sensação da perda, a necessidade de seguir adiante, mas não consegue devido aos pensamentos dos que ficaram, a sua tristeza e a sua dor. Se ele não consegue vencer esse momento difícil, volta ao lar que deixou e fica ali, misturando as lágrimas, sem forças para seguir adiante, numa simbiose que aumenta a infelicidade de todos. Pense nisso. Por mais que esteja sofrendo a separação, se alguém que você ama já partiu, libere-o agora. Recolha-se a um lugar tranqüilo, visualize essa pessoa em sua frente, abrace-a, diga-lhe tudo que seu coração sente. Fale do quanto a ama e do bem que lhe deseja. Despeça-se dela com alegria, e quando recorda-la, veja-a feliz e refeita. A morte não é o fim. A separação é temporária. Deixe-a seguir adiante e permita-se viver em paz. “A morte é só uma mudança de estado. Depois dela, passamos a viver em outra dimensão”
    Meus pêsames a familia enlutada..Willame Barros e familia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *