‘ACRÍSIO FIGUEIREDO’ COMEMORA DIA DO MEIO AMBIENTE COM REALIZAÇÃO DA VI CAMINHADA ECOLÓGICA

A escola “Centro de Ensino Médio Acrísio Figueiredo”, da Rede Estadual de Ensino, realizou hoje a VI Caminhada Ecológica em São João Batista. A caminhada vem sendo organizada a seis pelo professor Joran Sérgio Diniz, formado em Biologia pela Universidade Estadual do Maranhão (UEMA). A campanha desta vez teve como tema “Pelo uso consciente da água”.
Alunos, professores e diretores saíram da Praça do Viva e vieram até a Praça de Eventos trazendo mudas nas mãos e distribuindo panfletos em homenagem ao Dia Mundial do Meio Ambiente e da Ecologia. O professor Joran Sergio disse que é preciso conscientizar a população sobre a preservação do meio ambiente em São João Batista e em todo o planeta.
Além desta passeata, que contou também com organização de todos professores e diretoria, a escola organizou a I Exposição de Plantas Ornamentais e Peças de Material Reciclado. A exposição ficou disponivel ao público durante toda a semana na escola e está prevista para terminar no final da semana, comemorando, também, o Dia do Meio Ambiente. A caminhada teve ainda a participação das escolas “Dep. José Ribamar Dominici” e “Ateniense”.

DIA DO MEIO AMBIENTE

A criação da data foi em 1972, em virtude de um encontro promovido pela ONU (Organização das Nações Unidas), a fim de tratar de assuntos ambientais, que englobam o planeta, mais conhecido como conferência das Nações Unidas. A conferência reuniu 113 países, além de 250 organizações não governamentais, em que a pauta principal abordava a degradação que o homem tem causado ao meio ambiente e os riscos para sua sobrevivência, de tal modo que a diversidade biológica deveria ser preservada acima de qualquer possibilidade.
Nessa reunião, criaram-se vários documentos relacionados às questões ambientais, bem como um plano para traçar as ações da humanidade e dos governantes diante do problema. A importância da data está relacionada às discussões que se abrem sobre a poluição do ar, do solo e da água; desmatamento; diminuição da biodiversidade e da água potável ao consumo humano, destruição da camada de ozônio, destruição das espécies vegetais e das florestas, extinção de animais, dentre outros.
A partir de 1974, o Brasil iniciou um trabalho de preservação ambiental, através da Secretaria Especial do Meio Ambiente, para levar à população informações acerca das responsabilidades de cada um diante da natureza. Mas em face da vida moderna, os prejuízos ainda estão maiores. Uma enorme quantidade de lixos é descartada todos os dias, como sacos, copos e garrafas de plástico, latas de alumínio, vidros em geral, papéis e papelões, causando a destruição da natureza e a morte de várias espécies de animais.
A política de reaproveitamento do lixo ainda é muito fraca, em várias localidades ainda não há coleta seletiva; o que aumenta a poluição, pois vários tipos de lixos tóxicos, como pilhas e baterias são descartados de qualquer forma, levando a absorção dos mesmos pelo solo e a contaminação dos lençóis subterrâneos de água. É importante que a população seja conscientizada dos males causados pela poluição do meio ambiente, assim como de políticas que revertam tal situação.
E cada um pode cumprir com o seu papel de cidadão, não jogando lixo nas ruas, usando menos produtos descartáveis e evitando sair de carro todos os dias. Se cada um fizer a sua parte, o mundo será transformado e as gerações futuras viverão sem riscos.

Folha de SJB

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *