COLUNA DO JERSAN



[JERSAN+ARAUJO+1.jpg]
Jersan Araújo
A maioria dos prefeitos eleitos ou reeleitos reclama das dificuldades financeira e organizacional dos seus respectivos municípios, neste início de ano. Na campanha política, no entanto, eles demonstravam que sabiam dessa realidade e prometiam resolver todos os problemas administrativos em pouco tempo. Edivaldo Holanda Júnior, para exemplificar, garantia que, com o apoio da presidente Dilma, tiraria “São Luís dos caos em que se encontrava” em um curto período de tempo. 

Hoje a conversa é diferente: só fala em dificuldades, sem esboçar o otimismo de antes. Como então membro do Conselho Político da presidente, disse ter facilidade de aprovar projetos e trazer muitos recursos para São Luís; afirmações essas ratificadas pelos ministros Padilha e Rebelo, além do presidente da EMBRATUR e principal apoiador da sua campanha, Flávio Dino.

Em boa hora o vereador Pedro Lucas Fernandes (PTB), por meio de requerimento aprovado pela Câmara Municipal, solicitou à Prefeitura que envie àquela Casa a lista das empresas e os valores correspondentes aos “restos a pagar” previstos no Orçamento de 2013.  O vereador entende que o município passa por dificuldades, mas, até “para podermos ajudar, é necessário que saibamos o tamanho exato dessas dificuldades”, assim justificou o vereador que exige transparência dos gastos públicos. Não basta alardear dificuldades sem justificá-las nem deixar de cumprir promessas feitas em campanha com factoide, no intuito de incriminar adversários. É preciso seriedade e honestidade em todas as práticas e atitudes. 

Pela situação “pintada” pelo prefeito de São Luís, passam, também, vários prefeitos de capitais, como São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Recife e outras centenas de cidades do interior. No Maranhão, o município de São João Batista é um “retrato em cores” do caos estabelecido ali em dois anos de mandato da então prefeita Surama Soares, que assumiu o cargo em junho de 2010. Surama substituiu o prefeito reeleito em 2008, Eduardo Dominici, por decisão da Justiça Eleitoral. Uma decisão política.

Apesar das cantadas e decantadas dificuldades, o prefeito Amarildo Pinheiro entregou a responsabilidade de denunciar as irregularidades à sua assessoria jurídica e começou a trabalhar sem olhar para trás e cobrando da sua equipe de auxiliares providências administrativas para recolocar o município nos trilhos. Depois de quase dois meses de trabalho incansável, entra, agora, na fase de conclusão e homologação das licitações para meter, definitivamente “a mão na massa”. 

Com otimismo, proclama a redenção de São João Batista em termos de progresso e desenvolvimento. E olhe que Amarildo não tem lá “uma Dilma” diretamente ao seu lado, mas conta com o apoio decisivo do deputado federal Waldir Maranhão (PP) na aprovação de projetos essenciais e na liberação de recursos. São dois exemplos concretos de uma realidade em que não cabe mais “chororô”, e sim disposição de trabalho e competência. E vamos pra frente!. Blog do Jersan.

Folha de SJB

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *