DEPOIS DE UM ANO, ASSASSINO DE DULCIRAN AINDA NÃO FOI PRESO

Mesmo depois de um ano, o suposto assassino de Dulciran Santos ainda não foi preso pela Polícia Civil de São João Batista. José Algusto Pereira dos Reis, conhecido como Zé de Doracir, está com sua prisão preventiva aberta e até agora nínguem sabe nada sobre seu paradeiro. O Blog Folha de SJB tentou falar com a polícia da cidade, para saber mais sobre o assunto, e ninguém estava disponível para falar sobre o assunto, de acordo com a atendente.
Dulciran Santos foi brutalmente assassinada em fevereiro do ano passado, pelo seu ex-marido, Zé de Doraci. A doméstica foi atacada de forma cruel pelo seu ex-marido, que desferiu três golpes de faca e acabou a assassinando. O motivo seria o fim de relacionamento. Um ano antes da tragédia eles haviam se separado, mas tinham um casal de filho e um neto.

Até agora o suspeito ainda não foi preso. Na época o caso abalou a cidade. Duciran era mãe do jovem Dielson Santos, um dos membros do Fórum da Juventude de São João Batista. De acordo com informações ainda não confirmadas, tudo teria acontecido por que ele não aceitava o rompimento da união. O casal se separou no ano passado e tinha dois filhos e um neto.

Desde então, segundo relatos da própria Duciran ditos antes para sua família, Zé de Doraci teria a ameaçado várias vezes de morte e de acordo com informações preliminares ela teria registrado queixas na Delegacia Civil de São João Batista. O caso deixou a população perplexa e uma multidão se uniu a dor da família.

Tudo aconteceu por volta das 2:30 horas da madrugada do dia 22 de fevereiro de 2012. Dulciran saia de uma festa de reggae,  com outras pessoas (que o blog não identificou) e ele, o assassino, estava sentado em uma calçada. O fato aconteceu entre o Clube do Robinho e o prédio da antiga Secretaria Municipal de Assistência Social de São João Batista.

E de repente ele, Zé de Doracir, puxa uma arma branca (faca) e desfere três golpes. Dois perto dos seios e um no braço. Logo depois o assassino correu do local e populares levaram Duciran para o Hospital Municipal, e infelizmente não chegou com vida. A morte mobilizou todas as pessoas que estavam na Praça de Eventos e Festas de Reggaes no dia do assassinato. A família que mora no povoado Beirada pede justiça. Hoje será realizado evento em memória à doméstica.

Folha de SJB

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *