SÃO JOÃO BATISTA PARTICIPA DE PROJETO DA FAPEMA

Como aliar a diversidade da cadeira produtiva dos peixes, com a recuperação da mata ciliar ao longo do Rio Mearim e as potencialidades das tartarugas como recurso alimentar? Os assuntos são diversos entre si, mas trazem como premissa a realidade vivida por comunidades da Baixada Maranhense. Essa realidade a as pesquisas, forão discutidas no 1º Workshop da Rede de Pesquisa da Baixada Maranhense (Rebax), promovido pela Fundação de Amparo à Pesquisa e Desenvolvimento Científico do Maranhão (Fapema), no dia 31 do mês passado, no Hotel Premier, em São Luís.
O encontro reuniu 120 pesquisadores que integram a rede de pesquisa. Eles os responsáveis pelo desenvolvimento dos 12 projetos que tem como objetivo contribuir com o desenvolvimento sustentável da Baixada Maranhense. Participam, também, a secretária de Estado da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Rosane Guerra; o presidente da Fapema, Antônio Luiz Amaral Pereira; a coordenadora da Rebax, Zefira Almeida; além de representantes das Universidades Federal (Ufma) e Estadual do Maranhão (Uema).
A Baixada Maranhense é uma das regiões mais diversificadas do estado. As atividades econômicas predominantemente desenvolvidas na região são concentradas no setor agrícola, de baixo impacto para o desenvolvimento econômico. Nos municípios da Baixada predomina a atividade de subsistência. Hoje, a região é composta por 22 cidades: Anajatuba, Arari, Bela Vista do Maranhão, Cajari, Penalva, Conceição do Lago-Açu, Igarapé do Meio, Matinha, Monção, Olinda Nova do Maranhão, Palmeirândia, Pedro do Rosário, Penalva, Peri-Mirim, Pinheiro, Presidente Sarney, Santa Helena, São Bento, São João Batista, São Vicente Ferrer, Viana e Vitória do Mearim.
O workshop é fruto das análises colhidas ao longo de um ano, deste o início das pesquisas executadas graças ao edital Fapema de Apoio a Projetos de Pesquisa para Formação da Rede de Pesquisa da Baixada Maranhense (Rebax). O edital destinou valores de R$ 620 mil reais para esse estudo. No total, doze projetos foram executados a partir de três linhas de pesquisa. No evento, os pesquisadores vão ter a oportunidade de apresentar os resultados parciais dos trabalhos.
“Entre os resultados esperados com o edital estão a Integração e cooperação entre os programas de pós-graduação do Maranhão; ampliação da capacidade para formação de recursos humanos; desenvolvimento de bioprodutos e  bioprocessos  nas  várias  áreas  do  conhecimento, criando condições  para  o  estabelecimento  de  um  polo  científico-tecnológico  na  Região  da  Baixada Maranhense e  Agregar valor a produtos oriundos da própria região”, destacou o presidente da Fapema.
Integração
De acordo com a coordenadora do Rebax, Zafira Almeida, essa será a oportunidade para que haja um trabalho integrado entre os pesquisadores. “Na verdade como o tema é Baixada Maranhense os trabalhos se completam entre si. A partir do momento em que um pesquisador sabe do projeto do outro, fica mais fácil dar sugestão e acontecer um complemento de informações entre cada uma das propostas”, afirmou.
Entre as pesquisas que vão ser apresentadas, estão: Mapeamento das Potencialidades de Tartarugas como Recurso Alimentar para Subsidiar Alternativas de Renda das Comunidades Locais e Para a Conservação das Espécies na Baixada Maranhense, da pesquisadora Larissa Barreto; Sustentabilidade e Conservação da Jaçanã, do pesquisador Antônio Augusto Rodrigues; e a Biblioteca Digital da Baixada, do pesquisador Sérgio Ferreti.
Ao todo, 150 pesquisadores da Ufma e Uema integram a rede de pesquisa Rebax. “Essa troca vai servir para que haja uma interação e que se formem parceiros de modo a contribuir para que haja uma modificação na realidade da região da Baixada Maranhense”, argumentou Zafira Almeida.
As linhas de pesquisa dos trabalhos, focadas na diversidade vegetal e animal, na bioeconomia (desenvolvimento de produtos e processos) e na configuração socioeconômica, cultural e política da região vão ser mantidas. Todo o projeto de pesquisa deverá ser concluído apenas no final do ano que vem, até lá, novas rodadas de discussão de trabalhos devem ser realizadas. Os projetos foram aprovados em atendimento ao edital Fapema n° 32/2010 para execução no biênio 2012-2013. Fonte: Governo do Maranhão.
Folha de SJB

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *