PROFESSOR MARCONDES É ASSALTADO EM SÃO JOÃO BATISTA

Marcondes Serra
O professor Marcondes Serra Ribeiro e sua ex-esposa, Silvia Araújo, foram assaltados hoje a tarde no povoado Bom Viver, nas proximidades do Parque Noele. De acordo com as informações passadas pelo professor, dois motoqueiros os abordaram e levaram seus pertences. O docente estava na companhia de sua ex-esposa e contou o fato numa rede social.

“Fomos assaltados hoje à tarde quando retornávamos de São Vicente Férrer, eu e Silvia. Trafegávamos pelas proximidades da fazenda Noele e conversávamos sobre nosso passeio, quando fomos fechados por dois motoqueiros muito mal encarados, aliás, todo assaltante assume esse ar asqueroso, repugnante e que naturalmente suscita indignação moral. Depenaram-nos em tempo recorde, levando tudo quanto portávamos, incluindo celulares, algumas joias e todo dinheiro”, contou Marcondes.

Ambos viajavam numa moto Pop 100 e de acordo com Marcondes, eles ficaram sob a mira de um revolver de cano longo e os assaltantes ainda os ameaçaram.  “Tudo aconteceu sob a mira de um revólver de cano longo e ameaças covardes de que a situação seria pior caso não dispuséssemos de dinheiro. Arrancaram nossos cordões, pulseiras e anéis e com a maldita arma pressionada sobre minha cabeça, exigiam minha carteira e rendi-me, entregando todo dinheiro que tinha, suplicando para não levarem meus documentos e altamente temeroso por nossas vidas. Em segundos pensei que seríamos assassinados”, continuou o professor.


Ainda de acordo com o docente por pouco os assaltantes não atiraram. “Consumado o assalto e após a partida dos meliantes que estavam sem nada que protegesse suas feições bandidas e ainda correndo o risco de um acidente, por causa do nervosismo e descontrole que nos resultou, pedi a Silvia que corresse, medroso de sermos alvejados para eliminação de provas e reconhecimento, visto que eles não usavam nada que os protegesse”, completou.



Marcondes e Silvia pararam na Delegacia de Polícia Civil de São João Batista para registrar um boletim de ocorrência, mas não foi realizado por que os agentes de polícias disseram que procedimentos como esses só poderiam serem feitos na segunda-feira. “Nada foi providenciado, para nossa revolta e preocupação com tantos outros que encontramos trafegando pela mesma rodovia. 

O Blog Folha de SJB conversou com o professor e ele disse que o assalto aconteceu por volta das quatro horas da tarde e que a sensação era de impotência e medo. O Blog está entrando em contato com a Polícia Civil de São João Batista, mas não está conseguindo. A qualquer momento, novas informações.

Folha de SJB

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *