Em Viana, radialistas são demitidos de emissora após posarem em foto com opositor do prefeito

Na semana passada, fotos de dois radialistas da Maracu circularam em redes sociais informando que foram demitidos pelo diretor da emissora, o ex-prefeito Benito Filho, após posarem com fotos com o principal opositor do prefeito da cidade, Carrinho Cidreira.

Francinalva ao lado de Carrinho e sua esposa

Francinalva Serra e Pedro Belfort teriam sido despachados por motivação política, já que a emissora mantém contratos de quase 400 mil reais para divulgar as ações da Prefeitura de Viana (Reveja AQUI). Em conversa com o Blog do Jailson Mendes, Francinalva Serra confirmou as informações.

A radialista disse que comandava um programa diário na emissora e fazia algumas coberturas, e que após ser divulgado uma foto com Carrinho foi despedida. Ela contou que está fora desde o dia 24 do mês passado. Pedro Belfort, que também tinha programa na rádio Maracu, não foi localizado pelo blog para confirmar a versão.

O blog procurou o diretor da emissora, que disse que as informações não procedem e que em redes sociais cada um publica o que acha. Benito Filho disse ainda que emissora demite e contrata normalmente e que fosse motivação política, Pedro Belfort não seria exonerado, pois, nas palavras dele, não existe foto do locutor com Carrinho. Por fim, o ex-prefeito disse que a empresa é particular, que a radialista despedida era estagiária e que já tem dois novos contratados.

4 respostas para “Em Viana, radialistas são demitidos de emissora após posarem em foto com opositor do prefeito”

  1. O Professor Paulo Quilombola Presidente da FENAIQ BRASIL Entidade Cívil Organizada, vai ao Congresso Nacional e ao Ministério Público Federal 6° Câmara Quilombolas e Populações Tradicionais, cobrar ações integradas para as Comunidades Indígenas Quilombolas é Populações Tradicionais, do PROGRAMA BRASIL QUILOMBOLAS, dentre estes O Projeto habitacional Social Eco casas sustentáveis,

    Amparados pelos Decretos Presidencial 6040/2007 e 6261, que institui,

    OPrograma Brasil Quilombola foi lançado em 12 de março de 2004, com o objetivo de consolidar os marcos da política de Estado para as áreas quilombolas. Com o seu desdobramento foi instituída a Agenda Social Quilombola (Decreto 6261/2007), que agrupa as ações voltadas às comunidades em várias áreas, conforme segue: 

    Eixo 1: Acesso a Terra – execução e acompanhamento dos trâmites necessários para a regularização fundiária das áreas de quilombo, que constituem título coletivo de posse das terras tradicionalmente ocupadas. O processo se inicia com a certificação das comunidades e se encerra na titulação, que é a base para a implementação de alternativas de desenvolvimento para as comunidades, além de garantir a sua reprodução física, social e cultural;

    Eixo 2: Infraestrutura e Qualidade de Vida – consolidação de mecanismos efetivos para destinação de obras de infraestrutura (habitação, saneamento, eletrificação, comunicação e vias de acesso) e construção de equipamentos sociais destinados a atender as demandas, notadamente as de saúde, educação e assistência social;

    Eixo 3: Inclusão Produtiva e Desenvolvimento Local – apoio ao desenvolvimento produtivo local e autonomia econômica, baseado na identidade cultural e nos recursos naturais presentes no território, visando a sustentabilidade ambiental, social, cultural, econômica e política das comunidades;

    Eixo 4: Direitos e Cidadania – fomento de iniciativas de garantia de direitos promovidas por diferentes órgãos públicos e organizações da sociedade civil, estimulando a participação ativa dos representantes quilombolas nos espaços coletivos de controle e participação social, como os conselhos e fóruns locais e nacionais de políticas públicas, de modo a promover o acesso das comunidades ao conjunto das ações definidas pelo governo e seu envolvimento no monitoramento daquelas que são implementadas em cada município onde houver comunidades remanescentes de quilombos.

    A coordenação geral do Programa é de responsabilidade da SEPPIR, que atua em conjunto com os 11 ministérios que compõem o seu Comitê de Gestão. Contudo, cabe ressaltar que as ações executadas por diversas vezes extrapolam a competências desses órgãos. Nesse sentido, conforme necessário, são estabelecidas parcerias com outros órgãos do Governo Federal.

    Cordialmente

    Brasília DF 28 de outubro2019

    Professor Paulo Quilombola Presidente da FENAIQ BRASIL

    Após quatro anos, Maranhão atinge nível recorde da extrema pobreza http://ma-mais.com.br/index.php/2018/10/09/apos-quatro-anos-maranhao-atinge-nivel-recorde-da-extrema-pobreza/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *