Em Bacurituba, prefeito recusa aumento anunciado pelo MEC e oferece apenas 5% aos professores

Segundo os professores da cidade de Bacurituba, o prefeito José Sisto se recusa a aumentar os salários dos profissionais de acordo com o reajuste preconizado pelo Ministério da Educação, que é de 12,84% e anunciou que dará apenas 5%.

Prefeito da cidade, José Sisto

Um projeto foi enviado à Câmara de Vereadores pelo prefeito com este valor, que é menos da metade anunciado pelo MEC, o que levou o Núcleo do Sinproessema a reagir e lutar a favor de um salário melhor para os docentes do município.

Ontem, 2, os professores se reuniram com vereadores e pediram que os parlamentares votem contra a proposta encaminhada pela Prefeitura Municipal e aumentem os salários de acordo com o piso nacional. O projeto ainda não foi votado, mas deve entrar em pauta nos próximos dias.

Os docentes dizem que não aceitarão um aumento que não seja o previsto pelo Ministério da Educação e que é preciso que os professores da Rede Pública Municipal sejam respeitados. Em Bacurituba, o salário inicial de um professor, com carga horária de 20 horas, é menos de 2 mil reais.

Na mensagem encaminhada aos vereadores, o prefeito José Sisto diz que o município já tem um reajuste para 2020 acima do piso nacional do magistério e que o aumento de 5% elevará a folha de pagamento em 65%, acima da lei.

2 respostas para “Em Bacurituba, prefeito recusa aumento anunciado pelo MEC e oferece apenas 5% aos professores”

  1. Eu tenho dó desse povo que sempre penou nas mãos dessa gente. Não é so a educação de está essa lástima; as estradas como sempre oscilam entre a lama e a poeira, simplesmente intratáveis o que acaba piorando o cenário educacional, visto que alunos da zona rural não têm como se deslocar até a sede do município. É triste ver que esse povo vive refém de alguns. Jaja parece um novo herói prometendo mundos e fundos e se eu não tiver enganado, vai ser da família se Sibá.. que tabem ja foi prefeito assim como sua esposa e que deram uma grande contribuição pra que a situação do município esteja do jeito que está…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *