Polícia Militar procura irmãs acusadas de assassinar jovem de 25 anos em Matinha; crime repercute em todo o estado

Vítima foi morta a facadas

A Polícia Militar faz buscas para prender duas irmãs acusadas de assassinar brutalmente uma jovem de 25 anos na cidade de Matinha. A vítima foi identificada como Kelrry Dayna.

O caso aconteceu no Bairro Novo, no centro de Matinha e chocou a população da Baixada Maranhense. A ex-estudante universitária recebeu diversas facadas em seu corpo e as principais acusadas são duas irmãs, conhecidas como Tainá e Taynara.

Elas teriam brigado com a vítima no início da tarde, após uma briga de Kelrry Dayna com a mãe delas, no domingo passado. Estas informações ainda estão sendo confirmadas com a polícia. Um primo delas foi detido, suspeito de acobertar o crime e dá fuga às duas suspeitas.

Logo após a matéria divulgada pelo Blog do Jailson Mendes, blogs e sites do estado repercutiram a informação, sendo noticiada em quase todos os veículos de comunicação do Maranhão.

Há informações de que elas já estariam discutindo no facebook e no whatsapp, inclusive tem várias mensagens deixadas pela vítima e pelas suspeitas, nos aplicativos de mensagens. Fotos da vítima e das suspeitas estão sendo divulgadas em redes sociais.

Até agora, segundo a polícia, não foi preso nenhuma. O Blog do Jailson Mendes continua colhendo os detalhes do crime que parou a cidade de Matinha e pode voltar ao caso a qualquer momento.

3 respostas para “Polícia Militar procura irmãs acusadas de assassinar jovem de 25 anos em Matinha; crime repercute em todo o estado”

  1. Algumas pessoas precisam de uma maior leitura e entendimento de mundo. O que está acontecendo em Matinha não é normal! Escrevo isso porque muitas pessoas falarão que essa tragédia foi motivada por um conflito via “whatsapp”. e “facebook” . Afirmo, não foi. A intolerância, o desrespeito`as normas e o afastamento de Deus, é o motivo de tamanhas brutalidades. As pessoas precisam estudar o que é o Estado e entender como se comportar em uma sociedade. Uma boa leitura para esse entendimento conceitual de Sociedade e Estado é Jean-Jacques Rousseau: “ O Contrato Social”. Tenho lido quase diariamente este blog por considerá-lo bastante imparcial e com bastante credibilidade. Percebi que hoje e nos últimos dias (caso do quilombo Graça, caso das Belas Aguas, caso de Roma), ocorrera alguns homicídios na outrora pacata Matinha, principalmente contra a vida de mulheres. Penso que existe contrapontos nesses fatos, pois, o município matinhense, possui muitas pessoas de bem, educadas, estudiosas, acolhedoras e éticas (estas representam a Moral), o Estado se faz presente via poder executivo, legislativo e judiciário (estes representam o Direito), inúmeras escolas, a igreja se faz presente (esta representa a Religião), ou seja, moral, direito e religião, são bases que sustentam uma sociedade, portanto, encontramos essas bases na cidade matinhense. assim pergunto (apesar de já ter respondido na quarta e quinta linha do texto): o que está acontecendo com as pessoas para estarem praticando crimes contra a vida? Tudo é motivo para matar alguém? Estão achando que a vida perdeu valor? Estão achando que a sanção não virá? Não ligam para a fraternidade humana? Não pensam como desperdiçarão a sua vida e liberdade, como também destruirão as vidas de pessoas da sua própria família pelo sofrimento e das famílias das vítimas pela dor? Poderia escrever um texto de várias laudas para refletir sobre esses tristes fatos ocorridos na bela Matinha, no entanto, o objetivo é alertar as pessoas para um maior entendimento da vida, procurar as vias legais e o diálogo, é preciso ter mais calma, paciência e ter o conhecimento de como é prazeroso ser ético, honesto e liberto. E‘ preciso saber viver.

  2. Sabiam que estavam matando porque fugiram? Agirá vão para o presídio. Depois ficam dizendo que cadeia é para pobre. Cadeia é para ignorantes igual a essas pessoas que estavam com baixarias nas redes sociais.

Deixe uma resposta para Tedilson Pinheiro Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *