Fórum em Defesa da Baixada Maranhense discute parcerias com o reitor da UFMA

O reitor Natalino Salgado recebeu, nesta segunda-feira, 25, a comitiva do Fórum em Defesa da Baixada Maranhense (FDBM) para discutir estratégias em prol da educação, cultura, economia e do desenvolvimento da região.

Evento reuniu diretores do Fórum da Baixada e a reitoria da UFMA

Para o Presidente do Fórum, João Martins, é fundamental ter a UFMA mais presente na atuação junto às demandas da entidade. “A Universidade tem o trabalho de ensino, pesquisa e extensão e, por meio das ações de interiorização, poderemos aliar o conhecimento acadêmico, a experiência e a expertise dos membros da diretoria do Fórum para atender às necessidades dos municípios da baixada”, disse.

Ele ressaltou, ainda, a importância da aproximação do conhecimento, da ciência e do saber daqueles que estão precisando mais, ou seja, [na visão do Fórum] as populações da baixada maranhense.

“Nós, na condição de sociedade civil organizada, representamos essas populações e queremos aproveitar essa oportunidade de fazer um trabalho de parceria que possa, por meio da inovação, tecnologia, empreendedorismo, oferecer a assistência de que a baixada maranhense necessita”, frisou Martins. Como membro do Fórum e envolvido com a entidade desde a sua fundação, o reitor Natalino Salgado mostrou-se motivado por uma parceria que contribua com o desenvolvimento da baixada maranhense.

“A Universidade vai propor um momento de debate com o Fórum para discutir os pontos de cooperação mútua entre as instituições para, em conjunto, buscar novos caminhos que contribuam para o crescimento da região, que tem cerca de um quinto da população do estado em carência, além da criação de um projeto de desenvolvimento que gere empregos, dê acesso à educação e valorize a cultura. Nós precisamos lutar para vencer as dificuldades presentes na vida daquele povo sofrido da baixada maranhense”, revelou.

Designada para planejar essa parceira entre a UFMA e o Fórum, a pró-reitora de Extensão e Cultura (Proec), Josefa Bentivi Andrade, afirma que essas alianças fazem parte do projeto do professor Natalino, buscando evidenciar o tripé da Universidade: ensino, pesquisa e extensão.

“A face mais visível da Universidade, depois do ensino, é a pesquisa e a extensão. Nesse sentido, esses segmentos sociais têm espaço pleno na Universidade para realizarmos convênios, discutir e dialogar em prol do conhecimento e da responsabilidade que a UFMA tem no estado e no país. Nós estamos em processo de construção, e, para que essa construção seja efetiva, de fato, ela precisa do apoio da sociedade e buscar os talentos que estão fora da instituição para que, juntos, possamos fazer diferença”, finalizou. ASCOM/UFMA.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *