Associação criminosa e abuso de autoridade foram os motivos das prisões de guardas contratados pelo prefeito de Viana

O Ministério Público do Maranhão, por meio da 1ª Promotoria de Justiça de Viana, em conjunto com as polícias Civil e Militar, realizou, nesta terça-feira,1º, operação de combate ao crime em Viana, que resultou na prisão de seis guardas municipais. Eles foram autuados pelos crimes de associação criminosa e posse ilegal de arma de fogo e munição.

Um deles foi morto durante os confrontos

Foram presos José Raimundo Costa, vulgo “Manelão”, João Batista Meireles, vulgo “Curica”, Rayones Queiroz de Sousa, Francisco de Assis Mendonça Neto e Marcio Aurélio Mendonça. Vantuir Costa Neves, que tinha contra si mandado de prisão preventiva, foi preso e conduzido até a Delegacia Regional de Polícia Civil de Viana.

Também envolvido nas condutas criminosas, o guarda municipal Raimundo dos Santos Baia Pinheiro, ao ser abordado, disparou contra os policiais e acabou sendo atingido. Ele recebeu os primeiros socorros das próprias forças policiais envolvidas na operação, que o conduziram até o hospital de Viana. Mas não resistiu e veio a óbito.

Na residência de Raimundo dos Santos Pinheiro, foi encontrada uma arma de fogo calibre 38,  com quatro munições intactas e duas deflagradas, duas placas balísticas para colete com identificação suprimida e um par de algemas. No total, foram apreendidas três armas de fogo, uma espingarda desmontada, 74 munições de calibres variados, dois simulacros de arma de fogo e seis placas para colete balístico.

Há informações de que alguns deles não são guardas concursados e foram contratados pelo prefeito da cidade, Magrado Barros, para fazer rondas e escoltas.

INVESTIGAÇÃO

Diante de notícia de abusos praticados por funcionários contratados pela Guarda Municipal de Viana, foi iniciada a investigação que culminou na expedição de oito mandados de busca e um mandado de prisão preventiva.

Segundo as denúncias, oito guardas municipais contratados costumavam ostentar em via pública armas de fogo, praticavam ameaças e abusos de autoridade contra os cidadãos vianenses. As informações são do Ministério Público.

Uma resposta para “Associação criminosa e abuso de autoridade foram os motivos das prisões de guardas contratados pelo prefeito de Viana”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *