Alô polícia: mistura vendida como álcool gel em litros de refrigerantes está custando R$ 15 reais em São João Batista

O Blog do Jailson Mendes recebeu diversas informações desde a manhã deste sábado, 28, que uma mistura está sendo vendida como álcool gel e máscaras com valores superfaturados nos povoados de São João Batista.

Misturas custam 15 reais

Segundo as informações chegadas ao blog, duas pessoas do próprio município estavam vendendo as misturas hoje em povoados como Sarnambi, Conceição, Pedras, São Joaquim e Boticário. Pelo que o blog colheu, dezenas de pessoas compraram.

A questão é que não se trata de álcool gel 70, que previne contra o COVID-19, o novo Coronavírus, e sim uma mistura fabricada para usar em cabelos. O valor dessa mistura está custando 15 reais e está sendo vendida em litros de refrigerantes de 250 ml. Também estão sendo vendidas máscaras, no valor de 5 reais e se a pessoa quiser três, paga apenas R$ 10.

Muitas pessoas estão reclamando do caso, por que além de não ser o indicado pelos médicos, o produto foi superfaturado pela quantidade. O álcool gel 70 deve ser utilizado para desinfetar celulares, teclados, cadeiras, maçanetas e outros objetos que sejam de uso coletivo e tocados por várias pessoas com frequência. Em toda a cidade de São João Batista está em falta.

A indicação é que o produto seja o álcool 70, isto é, que seja composto de 70% de álcool etílico (etanol). De acordo com o Conselho Federal de Química, essa é a quantidade necessária para combater micro-organismos como bactérias, vírus e fungos. É possível identificar esse grau observando o rótulo do produto.

Às vezes, em vez do símbolo %, é usada a bolinha ° que indica “graus”, como nas marcações de temperatura. O álcool gel pode ser encontrado em mercados, farmácias e perfumarias, e um frasco pequeno para ser levado na bolsa custa em torno de 5 reais, em algumas cidades.

11 respostas para “Alô polícia: mistura vendida como álcool gel em litros de refrigerantes está custando R$ 15 reais em São João Batista”

  1. Gostaria de saber quais as providências tomadas pelas autoridades competentes em meio a essa denuncia.
    Comercializar produto falsificado incide em diversos crimes, como fraude no comércio, artigo 175 do Código Penal, cuja pena fixada é de seis meses a dois anos de prisão ou multa; bem como crime contra relação de consumo, artigo 7º da Lei 8.137/90, com pena de dois a cinco anos de detenção ou multa; crime de sonegação …

  2. Tô muito triste com essa notícia, me falaram que é Ivaldo e Raimundinho, que estão vendendo esses produtos falsificado, se vier ser confirmado, eles terão de responder criminalmente, por tudo isso.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *