Experiência de professora e alunos de São Bento durante a pandemia é premiada pela Rede Nacional de Ciência para a Educação

Uma experiência desenvolvida por uma professora e alunos da Rede Pública de São Bento, na Baixada Maranhense, durante a pandemia, foi premiadas pela Rede Nacional de Ciência para a Educação (Rede CpE), que fomenta pesquisa translacional em educação no Brasil. O resultado saiu nesta semana e pode ser conferido AQUI.

Professora Francilda já ganhou diversos prêmios fora do Maranhão

O projeto foi desenvolvido pela professora Francilda Fonseca, de 32 anos e natural do município de São Vicente Ferrer, com alunos da Escola Municipal ‘Santa Bárbara’, na zona rural de São Bento, onde ela leciona a disciplina História. Ela e mais oito professores de estados como Roraima, São Paulo, Pernambuco, Minas Gerais e Paraná venceram o prêmio que visa homenagear práticas revolucionárias durante a pandemia do Coronavírus.

A experiência desenvolvida com os alunos do sexto ano da escola da Rede Pública Municipal consiste na elaboração de aulas práticas e teóricas voltadas a explorar os quintais das casas dos próprios alunos, onde eles realizaram atividades como escavações, confecção de miniaturas de fontes arqueológicos e levantamento de informações antigas como os primeiros moradores dos povoados onde eles moram.

“O desafio todo foi apresentar essas atividades de forma impressa, já que eles não têm acesso a internet com facilidade, como a grande maioria de nossos alunos. Então apresentei as atividades, explicando como se estivéssemos na sala de aula, e o resultado foi espetacular. Conseguimos ter registros de alunos que conseguiram montar fogueiras como no período paleolítico, registros dos primeiros moradores da região onde eles moram e escavações, de modo que o quintal e a casa deles viraram verdadeiros sítios arqueológicos”, contou a professora Francilda.

A experiência foi realizada em uma área quilombola do município de São Bento, onde desde quando começou a pandemia provocada pelo Coronavírus, os alunos vão buscar as aulas impressas todos os meses e os professores precisam passar as orientações das atividades a serem realizadas. “É uma atividade linda, com o envolvimento da família e que deu pra perceber o quanto esse período que estamos vivendo nos desafiou a buscar novas alternativas de manter o ensino, mesmo com todas as dificuldades”, destacou a professora.

O prêmio

Desenvolvido pela Rede Nacional de Ciência para a Educação (Rede CpE), o prêmio ‘Reconstruindo a educação após a pandemia’ é a primeira iniciativa do grupo para premiar relatos de experiência de professoras (es) da rede de ensino básico em escolas públicas e privadas durante a pandemia de COVID-19.

A chamada tem como objetivo estimular o compartilhamento de experiências e o desenvolvimento pedagógico incentivando o interesse, a participação e a formação de professoras(es) da rede de ensino básico e visa financiar até 9 (nove) relatos de experiência, como forma de diminuir a distância entre a academia, a educação básica e a sociedade, aproximando a ciência e o conhecimento científico dos cidadãos e conectando escolas, pesquisadores e instituições de ensino superior.

Como parte da premiação a nível nacional, a professora participará também de três apresentações para professores do Brasil inteiro, até o fim do ano, e receberá uma premiação.

Professora e alunos antes da pandemia

Destaque na Baixada Maranhense

Francilda é uma campeã de projetos aprovados e tem se destacado em todo o Brasil pelos seus projetos desenvolvidos em escolas públicas. Em 2019, ela ficou entre os 50 finalistas do Prêmio Educador nota 10, desenvolvido pela Fundação Victor Civita, e no mesmo ano ela ganhou o Prêmio Conectando Boas Práticas, da Rede Conectando Saberes e Fundação Lemann.

Em 2020, primeiro ano da pandemia, ela ganhou Prêmio Professor Transformador, desenvolvido no Brasil pela Base2edu e, também no ano passado, ela ganhou o Prêmio Nestlé por crianças mais saudáveis. “A escola deve apontar caminhos aos alunos e alunas para que estes se reconheçam como sujeitos que produzem história, protagonizam e se desenvolvem integralmente. É uma alegria chegar tão longe e representar a Escola Municipal Santa Bárbara, meus alunos, suas famílias. Gratidão”, concluiu.

3 respostas para “Experiência de professora e alunos de São Bento durante a pandemia é premiada pela Rede Nacional de Ciência para a Educação”

  1. Francilda Fonseca é um expoente professoral, verdadeiro orgulho da Educação Maranhense – um grande e aplaudível exemplo! Colecionar prêmios tem sido corriqueiro em sua militância pedagógica, com ampla predominância da metodologia sócio-construtivista, que estimula o alunado a aprender desenvolvendo competências, a partir de sua própria experiência, bem afinada às propostas definidas pela BNCC. Parabéns, Francilda, quanto orgulho você nos dá!

  2. Parabéns professora, pela dedicação. É uma pena que a maioria dos professores não estão nem aí para a educação dos seus alunos, o que ficou muito evidente na pandemia.

Deixe uma resposta para Professor Marcondes Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *