SÃO JOÃO BATISTA SEM DROGAS…

É o que sonham muitas das nossas famílias que hoje se encontram praticamente destruídas com o envolvimento de alguns dos seus membros no consumo e até na venda dos mais variados tipos de droga. O crack está entre as mais consumidas no nosso município e que pelos efeitos nocivos, principalmente em causar dependência, faz com que muitos jovens e adolescentes pratiquem delitos para manter o vício.
Segundo levantamento feito pela Secretaria Extraordinária de Estado de Assuntos Estratégicos-SEAE, 92% da incidência da violência está relacionada ao consumo de drogas. Outro dado importante fornecido pela SEAE é que 20% da evasão escolar é motivada também pelo consumo de drogas. É preciso sair das estatísticas e partir para uma ação conjunta entre os poderes, envolvendo toda a sociedade que é mais prejudicada com essa situação, incontrolável neste momento.

A SEAE lançou em abril deste ano o programa “Maranhão sem drogas”, uma ação coordenada pela própria SEAE mobilizando as demais secretarias de estado, entidades não governamentais, iniciativa privada, FAMEM e sociedade civil organizada. Estão contemplados pelo programa os municípios com maior incidência no consumo de crack, entre eles está o município de São João Batista. O blog não tem informação que o referido programa tenha saído do papel.

Assis Araújo
Falta às autoridades, no mínimo, disposição para agir, criar estratégias para combater este grave problema que assola a sociedade. Aqui em São João Batista, por exemplo, em 2011, o então vereador Assis Araújo fez um projeto de lei estabelecendo o ‘Dia Municipal de Conscientização Pública aos efeitos nocivos pelo uso de drogas’ , incluindo o dia 06 de setembro no calendário oficial do município, visando chamar a atenção de toda a sociedade joanina para esta causa. 

No referido projeto o vereador propõe a integração do poder público com a sociedade em geral para uma ação conjunta de combate a este dano. Não temos conhecimento que tenha havido algum tipo de movimento nesta data, desde que a lei foi sancionada em julho/2011. Pela importância da

proposição já deveria ter sido colocada em prática, pois além da sua importância a data (06 de setembro) fica entre o dia da raça e o dia da independência, o que sugere uma mobilização nas escolas envolvendo jovens e adolescentes. Segundo o então vereador Assis Araujo, a data escolhida, está correlacionada com essas datas comemorativas.

Lançamento do Programa Maranhão sem Drogas
A implantação se faz necessário pelo teor social da proposta, visto que em São João Batista é grande o número de usuários de drogas mesmo com alguns incentivos aos jovens como a implantação de programas como Bombeiro Mirim, Cursos do Sistema ‘S’, criação da Superintendência Municipal de Juventude e outros. 

Neste dia, de acordo com a lei, deveria ser oferecido por parte do Poder Executivo, palestras, debates e exibições de vídeos, além de atividades culturais e desportivas.
Termo de uso
Política de moderação de comentários: O autor Jailson Mendes mantém a qualidade, atualidade e autenticidade das informações por ele apresentadas no presente blog, mas não se responsabiliza por informações/opiniões de terceiros. Ao comentar neste blog, você assume toda a responsabilidade pelo conteúdo postado. O autor deste blog reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal / familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós..

2 Responses to SÃO JOÃO BATISTA SEM DROGAS…

  1. Anonymous says:

    A matéria está duplicada, favor corrigir!

  2. Anonymous says:

    Triste isso mas é a realidade! Soube de casos de famílias joaninas que os pais venderam o único bem que possuíam: a casa própria para livrar seus filhos do crack. Em vão! Eles consomem tudo! Outras famílias já tentaram até prender seus filhos em casa, de nada adianta! O poder público tem que fazer alguma coisa. Incentivar esses jovens e adolescentes a se sentir úteis. Dizem que já existe até uma mini Cracolândia num bairro aqui de São João Batista. Fico horrorizada e, ao mesmo tempo, triste ao ver famílias sendo destruídas pela droga!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *