Ronildo Campos avança na valorização do magistério e reajusta salários de professores de Penalva em 6,81%

| 1 Comentário

Secretária Tânia ao lado do prefeito Ronildo

O prefeito Ronildo Campos anunciou que pagou todos os professores efetivos do município de Penalva com um reajuste de 6,81%. A decisão foi tomada após um reunião com sua equipe técnica da educação e assessoria contábil-financeira e após estudo de impacto na folha de pagamento.

Sua decisão foi motivada pelo reconhecimento da importância desses profissionais para o desenvolvimento educacional da comunidade Penalvense. A prefeitura tem pago acima do piso nacional dos professores, com o cumprimento do PCCV do magistério. Além disso, 89% destes, recebem mais de 11% em cima do seu salário base, com a implantação da URV.

Em detrimento aos outros municípios e até mesmo a rede estadual, Penalva é o município que melhor paga professores. Com o reajuste o salário para uma carga horária de 20h varia entre R$ 1.478,41 e o maior é acima de R$ 3.500,00. Além disso, Penalva é o único município do Maranhão que paga URVs. Foram 100% implantadas, com acréscimo de 11,98% no salário dos servidores.

‘‘Pagamos 20% acima do piso para os professores que estão no nível especial e acima de 100% do piso para os professores que estão no nível II e III. Investimos mais de 70% do recurso do FUNDEB no pagamento de professores em cumprimento do PCCV do Magistério’’, disse o prefeito Ronildo Campos, convicto que cumpre rigorosamente com suas obrigações enquanto gestor municipal.

A secretária de educação, professora Tania Campos, reconhece que após a implantação do Plano de Cargos e Carreiras do Magistério, a prefeitura de Penalva sempre pagou acima do piso salarial nacional. E os reajustes anuais são ganhos para os professores. Segundo a mesma, os recursos do Fundeb em 2017, foram investidos em pouco mais de 98% em pagamento de pessoal (professores, coordenadores, diretores, vigias, auxiliares administrativos e AOSD).

As outras despesas como transporte escolar, luz, água, gás de cozinha, manutenção da infraestrutura foram pagos com recursos do FPM, MDE, PDDE e QSE. “Apesar da instabilidade financeira conseguimos manter os salários em dias no passado”, disse a secretária Tânia Campos.

Folha de SJB

One Comment

  1. É determinação do Governo Federal e não desse prefeito mentiroso.

Deixe uma resposta para Marcinho Cancelar resposta

Campos requeridos estão marcados *.