PESCADORES DE SÃO JOÃO BATISTA AINDA ESPERAM RESPOSTA DE BRÁSILIA

Os pescadores de São João Batista esperam ansiosamente uma resposta da Coordenação Nacional do Seguro-Desemprego em Brasília. No final de 2013, o benefício teve sua recepção suspensa pela Superintendência Regional do Trabalho no Maranhão por supostas irregularidades.
No final de dezembro os representantes da superintendência, Julião Amim e Ricardo Gonçalves, vieram conversar com os pescadores de São João Batista e confirmaram a suspensão. Uma reunião foi realizada na Colônia de Pescadores para esclarecer as dúvidas e o chefe do Seguro-Defeso, Ricardo Gonçalves, disse que até empresário está recebendo o benefício.
Com isso, a Superintendência Regional do Trabalho enviou ofícios para a coordenação nacional e aguardam a decisão para liberação da recepção. A expectativa é que até o dia 5 de janeiro a situação já esteja resolvida e os associados da Colônia de Pescadores e Sindicato dos Pescadores recebam o Seguro-Defeso.
O QUE É O SEGURO-DESEMPREGO
Os pescadores que ficam proibidos de trabalhar nos períodos de reprodução dos peixes, o chamado defeso, recebem seguro desemprego e a quantidade de parcelas é determinada pelo tempo de suspensão da pesca. De janeiro a 4 de julho deste ano, mais de 138 mil trabalhadores já receberam o benefício em todo o país. O estado do Pará apresenta maior participação, com 40 mil beneficiados; seguido pelo Amazonas, com 16 mil; Rio Grande do Norte, com 11 mil; e Maranhão, 10 mil trabalhadores atendidos.

O seguro-desemprego pode ser requerido 30 dias antes do início do defeso e deve ser solicitado até o fim da proibição. O trabalhador deve se dirigir às Delegacias Regional do Trabalho (DRTs), ao Sistema Nacional de Emprego (SINE) ou às entidades credenciadas pelo Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) e preencher o formulário de requerimento do seguro desemprego do pescador artesanal. Após 30 dias, a primeira parcela estará disponível nas agências da Caixa, nas Casas Lotéricas ou nas unidades da Caixa Aqui. Para o saque é necessário apresentar a carteira de identidade e o número de inscrição como Segurado Especial.

O que é – o defeso é um intervalo de tempo em que o pescador artesanal fica proibido de pescar para garantir a reprodução das espécies. O profissional recebe, no período em que fica sem trabalhar, as parcelas do seguro-desemprego, no valor de um salário mínimo. A Resolução nº 468, de 21 de dezembro de 2005, do Conselho Deliberativo do Fundo de Amparo ao Trabalhador (Codefat), estabeleceu os procedimentos para a concessão do seguro-desemprego ao pescador que exerça sua atividade de forma artesanal, individualmente ou em regime de economia familiar, conforme calendário instituído pelo Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama).

Para ter acesso às parcelas do seguro desemprego, concedidas a cada 30 dias, o pescador deve comprovar que está inscrito na Secretária Especial de Aqüicultura e Pesca há pelo menos um ano, apresentar o atestado da colônia de pescadores artesanais confirmando o exercício da atividade, carteira de identidade ou de trabalho, comprovante de pagamento das contribuições previdenciárias e do número de inscrição como Segurado Especial. O seguro desemprego é pago com recursos do Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT).

Folha de SJB
Termo de uso
Política de moderação de comentários: O autor Jailson Mendes mantém a qualidade, atualidade e autenticidade das informações por ele apresentadas no presente blog, mas não se responsabiliza por informações/opiniões de terceiros. Ao comentar neste blog, você assume toda a responsabilidade pelo conteúdo postado. O autor deste blog reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal / familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós..

2 Responses to PESCADORES DE SÃO JOÃO BATISTA AINDA ESPERAM RESPOSTA DE BRÁSILIA

  1. Anonymous says:

    agora q enchergarão isso?todo mundo ja sabia disso,menos os defensores pulblicos…

  2. Anonymous says:

    ate que enfim, providencias precisam ser tomadas,esse beneficio que deveria ser destinado exclusivamente aos pescadores,está sendo pago a empresarios, comerciantes,funcionário público municipal,de forma ilicita,isso precisa acabar, kd o ministerio público? essas pessoas precisam devolver esse dinheiro

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *