Publicidade

Padre Guido Palmas é homenageado pelos relevantes servidos prestados na cidade de Matinha

| 1 Comentário

Padre Guido Palmas

O padre Guido Palmas foi homenageado ontem numa solenidade bastante concorrida na cidade de Matinha pelos grandes serviços prestados à cidade desde quando chegou no município, há 50 anos atrás. O evento foi organizado pela Prefeitura Municipal e foi realizado no Centro de Ensino Padre Astolfo Serra.

Além da população, a homenagem foi prestigiada pela prefeita da cidade, Linielda Cunha; pelo secretário de Infraestrutura, Eldo Jorge e a secretária de Educação, Maria Zilda Cantanhede; além do padre da cidade, Denis Ferrette; pelo ex-prefeito Aristóteles; freiras e demais secretários municipais e vereadores. Apresentações culturais de escolas, inclusive das que fundou em Matinha, marcaram as homenagens.

Durante o seu discurso, a prefeita Linielda Cunha destacou a trajetória do padre Guido Palmas e a sua luta por uma cidade melhor. A gestora agradeceu ao padre pelos avanços conquistados, na época, através do trabalho do pároco e disse que a cidade de Matinha sabe da importância que ele tem para todos os matinhenses. O padre atualmente mora na Itália, mas veio pessoalmente participar da homenagem organizada pela prefeita.

Biografia

As principais informações da Biografia foram colhidas dos Livros: Matinha, um passado de luta e Tradição, de autoria da Professora Euzébia Silva Costa e 50 e mais da história da nossa fé, Jubileu de Ouro da Paróquia de São Sebastião, de autoria do Padre Giuseppe Spiga. No dia 20 de junho de 1930, nasceu na cidade de Segariu, na Itália, o Padre Guido Palmas. Foi ordenado Padre no dia 04 de julho de 1954. No ano de 1967, veio ao Brasil designado para a Diocese de Viana/MA e por benção de Deus fora nomeado Pároco da Paróquia de São Sebastião em Matinha/MA. Recebeu as boas vindas através de alto falantes pelo prefeito da época Dr. Francisco das Chagas Araújo. Iniciava naquele ano uma trajetória de luta, ensinamentos, aprendizado, caridade, e amor pela cidade Matinha que ultrapassou limites e fronteiras.

Logo que chegou a Matinha visitou os Povoados de Sacaitaua, São Rufo, e João Luis. Umas das primeiras providencias tomadas pelo Padre foi reunir os pedreiros da cidade para fazer uma grande reforma na igreja. Os trabalhos de reconstrução realizados pelo pedreiro chefe Sr. Vandir Penha Nunes e diretor de obra, o Sr. João Amaral da Silva. Coordenado pelo Pároco foram recebidas ajudas financeiras dos Senhores José Ribamar Aroucha, na época chefe dos Correios e Telégrafos, João Amaral, do Governo Federal e os amigos italianos do Padre Guido também enviaram doações. Inúmeras foram as contribuições para a educação, como podemos destacar a criação do Jardim de Infância São Sebastião, que tinha como diretora, Bruna Palmas, irmã do Padre Guido; Com ajuda de amigos italianos criou em 1968 escolas de 1ª a 4ª série nos Povoados de Santa Maria, São Felipe, Santa Rita, Coroatá, Itans, Preguiça e Piraí; Trabalhava incansavelmente, e contribui na criação do Ginásio Bandeirante, sendo o primeiro diretor e professor, juntamente com as professoras Lúcia Maria Fonseca, Euzébia Silva Costa, Eleonora Pereira Soares e sua irmã Bruna que lecionava as disciplinas de Educação Artística e técnica agrícola, onde cada aluno fazia sua horta familiar.

Em 1969, iniciou o projeto João de Barro que felizmente levou a criação de 40 escolas na zona rural. Em seu trabalho de evangelização visitou todas as comunidades da paróquia e num encontro com catequistas tomou a decisão de celebrar culto dominical em todas as comunidades católicas. Em 1970 passou 2 meses na Itália e ao retornar programou as celebrações do verão. Realizou a Primeira Procissão de Corpus Christi na Paróquia de São Sebastião. Sempre preocupado com o processo educacional e vendo a dificuldade dos jovens estudantes da zona rural em se deslocarem até a sede, fez da casa da Senhora Raimunda Ferreira Silva, um internato para os jovens dos povoados. Promoveu cursos de corte e costura que foram ministrados por Maria Vitória França Nunes, preparando as jovens para o mercado de trabalho. Em agosto de 1970, iniciou a construção da Fraternidade, local onde atualmente existe a Capela da Sagrada Família, o local acolhia os catequistas, os encontros, cursos e programas da paróquia, sem falar que, servia para hospedar dos estudantes dos povoados que não tinham casa para ficar.

A educação era uma de suas grandes missões. Juntamente com Dom Hélio, sentiu a necessidade da construção da estrada de Arari-Viana para melhorar as condições de vida. Fazia as viagens pelos povoados a cavalo ou canoa. As questões sociais e os direitos eram suas grandes preocupações e por essa razão incentivou a criação do Sindicato dos Trabalhadores Rurais, que teve como primeiro presidente o Sr. José Ribamar Dias e existe até hoje em nosso município. Fora responsável pela criação de cemitérios para sepultar os entes queridos. Em 1972, retornou a sua terra natal, a Itália, deixando uma mensagem de agradecimento e pedindo desculpas pelos erros cometidos. Foram 5 anos de muito legado e saudades deixado em povo de Matinha. Contudo, o Italiano de coração Matinhense, nunca se afastou desta terra e se manteve sempre disposto a ajudar e a contribuir com a evangelização e as causas sócias. Os feitos continuaram, lá da Itália, Padre Guido, se mantem presente em nossa querida cidade através dos amigos, histórias, lembranças e da grande obra de amor, comunhão, fraternidade e caridade.

Hoje a Diocese de Viana, através da Paróquia de São Sebastião desenvolve um lindo trabalho de evangelização, ressocialização e combate as drogas na Fazenda do Amor Misericordioso, espaço que foi construído com a ajuda do abençoado Padre Guido. Igrejas foram construídas através deste homem bondoso, no Bairro Cajueiro, Galiza, Verônica, Povoado Santa Maria dos Furtados e Reforma. Padre Guido continua escrevendo sua história que iniciou em 1967 nesta cidade e nós Matinhenses só temos a agradecer a Deus e pedir saúde e bençãos em abundancia em sua vida.

Folha de SJB

One Comment

  1. Linda e merecida homenagem ao nosso querido padre Guido Palmas.

Deixe uma resposta

Campos requeridos estão marcados *.