Publicidade

INICIADA LICITAÇÃO DOS DIQUES DA BAIXADA, PROJETO BENEFICIARÁ SÃO JOÃO BATISTA

| 0 comentários

A Secretaria de Estado da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Sagrima) informou ontem que foi iniciada terça-feira (10), na sede da Companhia de Desenvolvimento dos Vales do Paraíba e São Francisco (Codevasf), em Brasília, a primeira etapa da licitação para a execução das obras do Sistema de Diques na Baixada Ocidental Maranhense. 


De acordo com a Sagrima, apenas o consórcio formado pela empresa Engeplus, do Rio Grande do Sul, e pela Proenge, do Maranhão, apresentou interesse nos serviços. A segunda etapa do certame, constituída pela abertura das propostas financeiras, acontecerá na próxima segunda-feira (16). De acordo com o titular da Sagrima, Cláudio Azevedo, que acompanhou o início da licitação, trata-se de um projeto fundamental para a garantia do desenvolvimento da Baixada Maranhense e para a viabilidade socioambiental dessa região do estado, nas próximas décadas. 
“Sem uma intervenção urgente, os campos da Baixada podem ser extintos pela ação do avanço do oceano. Por essa razão e também pelo bem do povo dessa parte do Maranhão, estamos nos empenhando para tornar possível a execução da obra”, afirmou. Ainda segundo o secretário, os diques permitirão o surgimento de novas oportunidades de atividades produtivas. “Se tudo der certo, haverá o aumento de renda da população dos municípios beneficiados, com maior aproveitamento para o plantio de diversas culturas e exploração da pecuária na região”, disse. 
O Projeto Diques da Baixada Maranhense prevê a construção de um sistema de diques e vertedouros (instrumentos hidráulicos utilizados para medir vazão em cursos d’água naturais e em canais construídos) com 71,2 km de extensão, em uma área de 1.478 quilômetros quadrados, compreendendo os municípios de Viana, Matinha, São João Batista, São Vicente Férrer, Cajapió, São Bento e Bacurituba. 

O objetivo do projeto é que os diques e vertedouros contenham o avanço de água salgada que vem do oceano, e perenize por mais tempo a água doce das chuvas que fica retida nos campos, aumentando a disponibilidade hídrica na região e amenizando consideravelmente os efeitos da estiagem. A obra tem previsão de investimento de R$ 100 milhões para a execução, que será acompanhada pela 8ª Superintendência Regional da Codevasf, com sede em São Luís. O prazo estabelecimento estabelecido para a realização dos serviços é de 24 meses.  

EQUIPE DE REDAÇÃO DO BLOG DA AGÊNCIA DE SJB

Deixe uma resposta

Campos requeridos estão marcados *.