Em São Vicente Ferrer, alunos são premiados durante encerramento do projeto ‘Ler, escrever e pensar’

| 2 Comentários

O Ministério Público do Maranhão premiou os ganhadores do projeto “Ler, escrever e pensar: conscientizar para transformar” na cidade de São Vicente Ferrer, na Baixada Maranhão. O projeto tem por objetivo estimular a leitura e produção textual de estudantes da rede pública acerca da corrupção no Brasil e foi realizado em parceria com a Prefeitura Municipal, através da Secretaria Municipal de Educação, e da Seduc.

O evento de encerramento foi realizado ontem, 05, no pátio da escola ‘Ana Mota’ e contou com a participação da idealizadora do projeto, promotora de justiça Maria José Lopes Corrêa; da promotora Alessandra Darub, que foi transferida para São Mateus; do secretário de educação, Fábio Teixeira; de professores, coordenadores e alunos.

Durante a programação, alunos das escolas ‘Raimundo Pinheiro’, ‘Educandário’ e uma escola do povoado Água Limpa foram as escolhidas na Rede Municipal de Ensino. Já na Rede Estadual, a escola Ana Mota levou todos os prêmios. Segundo o secretário de educação, Fábio Teixeira, este é o segundo ano que o projeto é realizado e serve para chamar a atenção de alunos sobre ética e combate à corrupção.

Para a autora do projeto, promotora de justiça Maria José Lopes Corrêa, esta é uma forma de o Ministério Público instigar o espírito crítico do estudante e conscientizar para que ele seja o protagonista da mudança que deseja para o país, incentivando a vivência cotidiana de atos de honestidade como forma de alcançar governos probos e governantes honestos para o Brasil. “Nenhuma transformação se fará efetiva sem que provenha da alteração de conduta de cada cidadão. Povo honesto não produz governo corrupto”, ressaltou a promotora Maria José.

PROJETO

Realizada em diversos municípios do Maranhão, a campanha promove um concurso de redação entre os alunos da rede pública de ensino a respeito do tema, tendo como referência uma obra literária. As escolas participantes selecionam a melhor redação de cada série (9º ano do ensino fundamental e 1º, 2º e 3º do ensino médio), que são avaliadas pela Academia Imperatrizense de Letras, que elege as melhores redações entre as pré-selecionadas.

Este ano, o livro escolhido foi: “Ética e Vergonha na Cara”, de Mário Sérgio Cortella e Clóvis de Barros Filho. Também fica a critério das escolas realizar atividades além da produção textual para estimular a criatividade e a discussão da temática. Ao final do projeto são escolhidos seis ganhadores em cada município: três do 9ª ano do Ensino Fundamental e três do Ensino Médio. Os prêmios são um notebook, um tablet e um smartphone para o primeiro, segundo e terceiro lugar de cada categoria, respectivamente.

Folha de SJB

2 Comments

  1. Primeiramente que a escola de água limpa iria ser a escola nota 10, mas Fábio Teixeira colocou educandário como vencedora.. só pq ano passado ela deu vexame.
    Outra, Ana mota não merecia ser escola nota 10, nem aqui .. nem na China. Péssima em tudo…
    Tomara que próximo ano … não seja esse tanto de falcatrua q foi esse ano.

  2. Esse secretário devia ter vergonha na cara, é um incompetente e improbo. Lembram das jornaladas pedagógicas? um engodo fuleiro que só serve para lavar dinheiro da educação.

Deixe uma resposta

Campos requeridos estão marcados *.