Em Matinha, segundo vereador mais votado adere ao grupo liderado pela prefeita Linielda e Eldo Jorge

A Oposição teve mais um declínio na cidade de Matinha. Desta vez, a prefeita Linielda de Eldo recebeu a adesão do vereador Márlio de Zé Mario, segundo mais votado nas eleições municipais passadas. Agora, o grupo que administra a cidade já conta com 7 parlamentares e articula a reeleição da prefeita.

Numa reunião ontem, com a presença da prefeita e do líder político Eldo Jorge, a família Cunha Rabelo aderiu ao grupo e confirmou seu apoio com vistas às eleições do ano que vem. Com a adesão, o quadro de secretários do primeiro escalão e o cenário na Câmara de Vereadores de Matinha também tem oscilação.

Com a chegada do vereador, Lilico volta ao parlamento e deve assumir a Liderança do Governo. O suplente de vereador Carlos Cesar estava em seu lugar na casa, já que Lilico estava como titular da Secretaria Municipal de Saúde desde o ano passado. Em seu lugar, assume a irmã do vereador Marlio, a ex-secretária Jeane Cunha.

Ela já foi secretária de Assistência Social no governo de Dr. Emano e atualmente é proprietária de uma escola particular na cidade. Ontem mesmo, a prefeita Linielda de Eldo assinou o termo de posse da nova secretária. Márlio, que foi eleito no grupo da Oposição, chega ao grupo de Linielda e diz que não medirá esforços para melhorar a gestão e ajudar o Governo na câmara.

Mostrando capacidade de buscar apoio e acenando para a disputa do próximo ano, Linielda agradeceu o apoio do vereador e disse que recebe a Família Rabelo com o mesmo carinho que vem tratando seus munícipes. A adesão da família inicia as articulações para as eleições de 2020, quando a prefeita deverá disputar a reeleição.

Folha de SJB

Uma resposta para “Em Matinha, segundo vereador mais votado adere ao grupo liderado pela prefeita Linielda e Eldo Jorge”

  1. No inicio da matéria o competente jornalista traz uma afirmativa bem interessante: “ A oposição teve mais um declínio na cidade de Matinha…” Será mesmo? Ou essa adesão foi um tiro no pé dado pelo próprio vereador e ou tal adesão fortaleceu a oposição? Vamos responder sem viés ideológico. O nobre parlamentar aderindo ao grupo da situação não estaria traindo e desprezando a confiança dos seus eleitores? Pois foi eleito para fazer oposição ao Poder Executivo e cumprir suas funções no legislativo fiscalizando a atual gestão. Será que na próxima campanha, o vereador conseguirá repetir ou aumentar a quantidade de votos? Só o tempo dirá. Contudo é necessário respeitar a opção política do vereador. Assim se faz a democracia, respeitando escolhas.
    Porém vamos adiante na análise, já que a matéria evidencia o início as articulações políticas para as próximas eleições. Entendo que ainda é cedo para pautar tal assunto, mas, a matéria deixa bem explícito que a atual gestão já está em campanha.
    Importante citar que como cidadão de Matinha e leitor de teorias políticas, me sinto completamente `a vontade para esta análise, algumas reflexões e também para relembrar fatos interessantes, pois, uma sociedade que não se identifica com sua própria história não tem conhecimento de si mesmo.
    Sendo assim vamos as reflexões:
    1º) Será que a próxima eleição para prefeito(a) será tão fácil assim como pensa o atual grupo político que dá sustentação a gestora?
    2º) Até que ponto o cenário nacional influenciará na política matinhense?
    3º) Será que o ex-prefeito Doutor Emanoel Travassos – que fez uma boa gestão na sua época e cumpriu com a sua obrigação de deixar ao final do seu mandato uma situação financeira confortável `a época – e simpatizantes enquanto cidadãos, irão engolir calados a atual situação dos servidores ou irão compor uma chapa para concorrer a prefeitura? Pois, consta que muitos servidores ficaram sem receber vencimentos durante o mês de dezembro passado, frustando assim o período natalino de muitos e os obrigando a comemoração do “réveillon” com sidra, sardinha, farinha d’água e manga, outros servidores estão com salários atrasados até hoje, prejudicando assim direta e indiretamente toda a população. Essa foi a mudança?
    4º) A que carinho a gestora se refere no último parágrafo da matéria quando o jornalista reproduziu a fala da gestora: “ e disse que recebe a família Rabelo com o mesmo carinho que vem tratando seus munícipes…’’ ? Voltem a reflexão de número 3, salários atrasados. Carinho não paga as contas e demais obrigações.
    5º) O servidor público está se sentindo representado pelo presidente do sindicato? Ou está a caminho uma nova proposta para tirá-lo do cargo de presidente via dispositivos legais?
    6º) O que o povo está achando da atual gestão? Uma dica para quem irá concorrer, com o crescimento e disseminação da internet, “whatsapp” e demais redes sociais, ganhará quem estiver alinhado com o povo, quem tiver propostas reais e quem respeitar a vontade popular, em suma, o poder emana do povo. Não esqueçam: Vox populi.
    Vamos aos fatos que poderão nortear a próxima eleição:
    1º) Na época de Beto Pixuta, este simplesmente achando-se o dono da situação desprezou o apoio do ex-vereador João Francisco supondo que este não tinha votos e tampouco respaldo político. Este relato foi um pequeno exemplo, mas, significou que Beto virou as costas para os fiéis e antigos escudeiros / eleitores do saudoso Pixuta. Resultado, até hoje Beto lamenta e chora o resultado das eleições.
    2º) Agora, o atual grupo político que comanda a prefeitura está cometendo os mesmos equívocos do outrora prefeito Beto. Vejamos, quem apresentou a atual prefeita a toda a população foi o cacique político Aristoteles Araújo que com o seu chapéu de palha e modo simples de se vestir a carregou por todos os povoados, porque até então, a prefeita era simplesmente desconhecida no cenário político. Me respondam, Aristoteles Araújo continua alinhado com a prefeita?
    3º) Como se deu o rompimento do líder político Eldo Jorge com Dr. Emanoel Travassos?
    4º) Recentemente em uma grande e total insensatez política, Eldo Jorge rompeu também com o nobre vereador Zé Orlando, presidente da câmara. Que se passa muchacho?
    Diante desses fatos, faço uma análise do último parágrafo da matéria; o grupo político atual que comanda o município não está demonstrando nenhuma capacidade de articulação. Me parece que falta uma leitura mais aprofundada do atual cenário no município. Também estão mostrando para a oposição o caminho a ser trilhado para uma disputa bem equilibrada, bastando somente uma boa estratégia política para não polarizar a disputa. Ou seja, que Dr. Emanoel Travassos, Júnior de Raquima, Zequinha Amaral, Cabeça e outros não pensem em fechar em prol de um único nome. Penso também que os servidores públicos poderiam se articular para lançar um nome. O setor privado deveria se manifestar e lançar um nome. Também será necessário observar o cenário nacional. Pois, caso o governo Bolsonaro consiga uma boa gestão, o reflexo se dará automaticamente nos municípios e assim, no caso de Matinha, como a gestão é comunista, oposição ao governo Bolsonaro, terão poucos argumentos para o povo. Tendo o governo federal bom desempenho, o candidato que estiver alinhado `a gestão federal terá boa chance de vitória.
    Enfim, que a prefeita e a oposição trabalhem durante todo o ano de 2019, pois ainda estamos começando o terceiro ano do atual mandato e o que Matinha necessita é de atuação dos poderes executivo e legislativo em prol do bem estar social, deixando essas querelas e articulações políticas para 2020.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *