Com atuação dos professores, jornada de trabalho de 20 horas semanais é regulamentada em São João Batista

| 8 Comentários

A Câmara Municipal de Vereadores aprovou ontem, 5 de abril, a regulamentação de Lei Municipal 495 de 1998, que trata sobre a jornada de trabalho em 20 horas semanais dos professores de São João Batista. Este projeto é uma segunda sugestão, dada pelo SindProf aos parlamentares, e substituiu o projeto enviado pelo Executivo, que tratava da regulamentação das 40 horas semanais.

Professores e vereadores participaram da sessão

O projeto obteve a aprovação de todos os vereadores, inclusive do vereador e presidente da casa, Assis Araújo, e foi inicialmente assinado pelos vereadores Cabeça, Chico de Nhozinho, Tales Pinheiro e Louro. Segundo Assis, se trata de um consenso entre os parlamentares, Secretaria Municipal de Educação e a categoria, representada pelo Sindicato dos Professores.

A lei regulariza o art. 41 e parágrafo único da Lei Municipal 495/1998, que institui o PCCR do Magistério Público Municipal, com carga horária de 20 horas semanais, para a classe de professores da Rede Municipal de Ensino e define ainda, 40 horas semanais para os cargos de Gestor Escolar, Inspetor Escolar Coordenador Educacional e Supervisor Escolar.

Em conversa com o blog, o presidente do Sindprof agradece o empenho incansável dos professores e da boa vontade dos vereadores e da Semed. Também em conversa com o blog, Assis Araújo disse que se trata de um avanço e disse que os professores ainda estavam sob uma leia que falava de 30 e 40 horas e que durante todo esse tempo, de 98 pra cá, ninguém tomou a iniciativa de regulamentar para a carga horaria de 20 horas.

“Os vereadores entenderam que era necessário a regulação de acordo com lei geral e aprovamos ontem a primeira regulamentação, que é de 20 horas”, afirmou o presidente da casa. Assis disse ainda que o projeto do Executivo retornou ao prefeito e que a prefeitura deve enviar um novo projeto tratando apenas da regulamentação das 40 horas semanais.

Folha de SJB

8 Comments

  1. POR PRESSAO JAILSON, NADA DE CONSENSO…FOI PRESSÃO MESMO

  2. 40 horas? tá segunindo o estilo Temer?

  3. Cuidado professores, só pra lembrar vocês, logo, logo os familiares do presidente do SINDPROF ,estará nas tetas da PM , na gestão de Amarildo perdermos o nosso ensentivo de 15% de sala de aula e até irmão do presidente estava na lista dos fantasma esse presidente perdeu a MORAL diante da classe dos professores.

  4. E o professor acima escreve “ensentivo” em vez de “incentivo”! Pelo amor de meus filhinhos…kkkkkkkkk. E assim caminha a educação em SJB.

  5. Caro fantasma que se denomina como VAMOS RENOVAR, o único fantasma que tem aqui é você, que está totalmente desenformado, pra você saber que eu Israel Melonio nunca ocupei cargo algo a não ser concursado que sou e pouco menos recebi vantagens que não fosse do meu suor. E procure se informar que o INCENTIVO DE SALA DE AULA OS PROFESSORES PERDERAM FOI EXATAMENTE QUANDO EDUARDO DOMINICI ERA PREFEITO, ele foi quem tirou. Mas nao se preocupe que está na justiça e em breve teremis essa vitória. Também não se preocupe que você que votou e é babão ainda não conseguiu emprego, eu e minha esposa somos concursados. Agora sempre juntamente com meus companheiros defendemos a categoria não é agora que vai ser diferente. Israel Melonio

  6. O povo de São João Batista não sabe mesmo votar , Eduardo , foi o principal causador dos males de nossa cidade , tirou o incentivo dos professores acabou com a granja, casa do mel , a casa familiar rural e muitas outras coisas , centro de informática e outros , e o povo Söns ele esse bandidos.

  7. Folha de SJB removeu este comentário

Deixe uma resposta

Campos requeridos estão marcados *.