CIDADE SEDIARÁ ENCONTRO QUE DISCUTIRÁ CONSTRUÇÃO DOS DIQUES DA BAIXADA

| 1 Comentário

A Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Recursos Naturais (Sema), com parceria da Prefeitura Municipal, por meio da Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Agricultura, estará promovendo amanhã a II Audiênca Pública relativo ao Projeto de Construção dos Diques da Baixada Maranhense, compreendendo o trecho entre os municípios de Bacurituba à Viana.
Reunião dos diques em 2011
De acordo com informações passadas pelo secretário de Agricultura e Meio Ambiente de São João Batista, Serginho Castro, na audiência que será realizada na Colônia de Pescadores, a partir das 9 horas da manhã desta quarta-feira, 04 de dezembro, será apresentado um Estudo de Impacto Ambiental e um Relatório de Impacto Ambiental do projeto, de acordo com as exigências da Secretaria de Estado do Meio Ambiente do Maranhão.
As audiências seguirão um cronograma. A primeira foi realizada hoje na cidade de Viana, amanhã será a vez de São João Batista, e na quinta, o município de Cajapió sediará o evento. “Todas as audiências serão de responsabilidade do Órgão Estadual de Meio Ambiente e permitirão o esclarecimento dos aspectos positivos e negativos do empreendimento, bem como o seu envolvimento social”, disse o secretário Adjunto de Licenciamento da Secretaria de Estado de Meio Ambiente, José Jânio de Csstro Lima.
DIQUES DA BAIXADA
O Projeto Diques da Baixada Maranhense prevê a construção de um sistema de diques e vertedouros (instrumentos hidráulicos utilizados para medir vazão em cursos d’água naturais e em canais construídos) com 71,2 km de extensão, em uma área de 1.478 quilômetros quadrados, compreendendo os municípios de Viana, Matinha, São João Batista, São Vicente Férrer, Cajapió, São Bento e Bacurituba.

O objetivo do projeto é que os diques e vertedouros contenham o avanço de água salgada que vem do oceano, e perenize por mais tempo a água doce das chuvas que fica retida nos campos, aumentando a disponibilidade hídrica na região e amenizando consideravelmente os efeitos da estiagem. A obra tem previsão de investimento de R$ 100 milhões para a execução, que será acompanhada pela 8ª Superintendência Regional da Codevasf, com sede em São Luís. O prazo estabelecimento estabelecido para a realização dos serviços é de 24 meses.

One Comment

  1. de novo? outra baboseira/quais os candidatos que querem votos dessa vez.acorda povo,la vem o golpe.

Deixe uma resposta

Campos requeridos estão marcados *.