Artigo: O potencial turístico da Baixada Maranhense…

Flávio Braga – Com o objetivo de divulgar o potencial turístico de Viana e da região da  Baixada Maranhense,  a Rádio e TV Maracu promoveu um aprazível passeio náutico no último dia 13/04, reunindo baixadeiros e amigos da Baixada. Foi a segunda edição dessa aventura fantástica. A primeira ocorreu em 2018. O passeio saiu do parque Dilu Melo em Viana e incluiu paradas na cidade de Cajari e no bar Brisas do Aquiri em Matinha. Em 2020, a emissora promete intensificar essa belíssima agenda turística, com o acréscimo de um roteiro para Penalva.

A Baixada Maranhense foi transformada em Área de Proteção Ambiental (APA) em face da sua importância ecológica, especialmente para as numerosas espécies de aves migratórias, que a utilizam como ponto de descanso, alimentação e reprodução.

Na estação chuvosa, a Baixada se transforma em uma imensa planície alagada e verdejante, que forma o majestoso Pantanal Maranhense, com toda a sua diversidade de fauna e de flora, que a transforma num santuário ecológico de rara beleza. Essa paisagem esplendorosa muda de acordo com a época do ano. Do ponto de vista socioeconômico, é uma região vocacionada ao ecoturismo sustentável.

O rosário de lagos e os campos floridos da Baixada constituem atrativos naturais extraordinários que merecem ser explorados economicamente, tendo em vista o seu imenso potencial de captação turística, que precisa ser encarado como um mecanismo indutor do desenvolvimento sustentável da região, sobretudo pela sua capacidade de gerar trabalho e renda a uma população carente e historicamente desassistida.

A partir do seu ecossistema diversificado e da sua cultura peculiar, a Baixada é naturalmente propensa ao desenvolvimento da indústria do turismo e tem como ofertar uma infinidade de produtos turísticos, como cavalgadas, pesca, trilhas, mergulhos, motociclismo, gastronomia típica, artesanato, folguedos, tradições religiosas, festas folclóricas, danças populares, patrimônio arquitetônico, passeios náuticos,camping etc.

A indústria do turismo se alicerça em três pilares: a infraestrutura dos destinos turísticos (hotéis, bares, restaurantes, transporte e espaços para eventos), a qualidade e criatividade dos serviços oferecidos aos visitantes e uma política de divulgação eficiente. Nesse passo, é imperioso que os gestores municipais da Baixada e os empresários maranhenses sejam sensibilizados e internalizem a ideia da mudança de hábitos e quebra de paradigmas, a fim de superarem o marasmo que norteia a aplicação das mesmas políticas públicas de sempre e das repetitivas oportunidades de negócios.

Já passou da hora de os nossos governantes e empreendedores privados compreenderem que a política de turismo no Maranhão não pode se restringir eternamente aos Lençóis Maranhenses e à Chapada das Mesas. Por fim, registro as minhas homenagens à emissora Radio e TV Maracu por ser uma grande entusiasta do ecoturismo na Baixada Maranhense.

4 respostas para “Artigo: O potencial turístico da Baixada Maranhense…”

  1. Muito blá blá blá. Ano eleitoral se aproxima e descobrem até cabelo em ovo.
    A prefeitada incompetente não aplica nem no básico imaginem em turismo,sem falar no gov do estado que nada faz. A perenização desses lagos agora vão render velhos discursos ,promessas de sempre e problemas eternizados

  2. Excelente o artigo de Flávio que focaliiza o ecoturismo na Baixada, um potencial a ser priorizado e desenvolvido.
    Os diques contribuirão muito para facilitar e incrementar o turismo em grande parte da região. O canal que será formado contribuirá para a navegação de Viana até Cajapió, Bacurituba e São Bento, transformando os imensos campos verdejantes num atrativo para os turistas. Os diques da baixada já!

  3. Em que pé está (ou se é que está) o projeto da rodovia entre São João Batista e Bacabeira que, em cálculos simples, são apenas 50 km em linha reta? Creio que esse sim seria um projeto vultoso e de relevância, e que traria desenvolvimento pra pobre e esquecida São João Batista. Esses políticos têm uns delírios que chegam a dar náuseas. A rodovia deveria ser cobrada e licitada o quanto antes para o progresso dessa cidade. O tempo seria muito otimizado entre São João e São Luís, além do que a cidade passaria a ter uma saída por via terrestre, coisa que até hoje não tem. Vergonha

  4. O projeto que liga a Baixada a Bacabeira está em pauta há alguns anos dependendo apenas de uma decisão de Governo. Já foi incluído no Plano Rodoviário do Estado, está faltando apoio político. É hora daqueles que receberam votos na região tomarem uma posição em defesa dessa grande alternativa e assim como o diques da baixada, dois projetos que irão contribuir para o desenvolvimento da na Baixada.
    A distância ficará reduzida a 30 km até Bacabeira, e para são Luís 75 km.
    Isto daria oportunidade de emprego no futuro pólo industrial a ser implantado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *